MP de Los Angeles acusa Harvey Weinstein de dois casos de abuso sexual

MP de Los Angeles acusa Harvey Weinstein de dois casos de abuso sexual

Audiência desta segunda foi para definir aspectos logísticos do julgamento do ex-produtor

AFP e AE

Audiência desta segunda será para definir aspectos logísticos do julgamento

O Ministério Público de Los Angeles acusou nesta segunda-feira o ex-produtor de cinema Harvey Weinstein de estupro e abuso sexual de duas mulheres em 2013. "As provas demonstram que o acusado utilizou seu poder e influência para ter acesso a suas vítimas e logo cometer crimes violentos contra elas", disse a procuradora Jackie Lacey horas depois de ter início o julgamento do ex-magnata por crimes similares em Nova Iorque. 

"Quero reconhecer as vítimas que se manifestaram e bravamente recontaram suas experiências. É minha esperança que todas as vítimas de violência sexual encontrem força e cura no futuro."

A audiência desta segunda foi para definir aspectos logísticos do julgamento. Weinstein supostamente estuprou uma mulher em um hotel no dia 18 de fevereiro de 2013, depois que entrou à força no quarto. Na noite seguinte, ele teria abusado sexualmente de outra mulher, esperada como testemunha no julgamento de Weinstein em Nova Iorque. A promotoria de Los Angeles vai investigar alegações de crimes sexuais contra Weinstein de três mulheres, disse Lacey. 

O ex-produtor encara até 28 anos de prisão se for condenado nas ações de Los Angeles. A promotoria de Manhattan não quis comentar as novas acusações. "Há uma situação em LA acontecendo", disse sua advogada, Donna Rotunno, à imprensa nesta segunda-feira. A seleção do júri vai começar nesta terça-feira, mais de dois anos depois das primeiras alegações contra o produtor e que catalisaram o movimento #MeToo.

Weinstein alega inocência e diz que todas as relações sexuais foram consensuais. Ele pode ser condenado à prisão perpétua se algumas das acusações mais graves foram aceitas pelo júri. 


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895