Museus reabrem na Suíça e Edward Hopper reencontra seu público

Museus reabrem na Suíça e Edward Hopper reencontra seu público

Antes do confinamento, a exposição recebia mais de 800 pessoas por dia. Agora, o limite é de 300, informa a Fundação

Eloi Rouyer, da AFP

Visitantes contemplando a obra de Edward Hopper

publicidade

A Suíça reabriu seus museus, após a pandemia de coronavírus, e o público pôde voltar a contemplar a obra de Edward Hopper, considerado "o pintor do momento", com seus personagens solitários e seus espaços vazios, exposta pela Fundação Beyeler.

Situado perto da Basileia, no noroeste da Suíça, este Museu de Arte Contemporânea teve de interromper, em meados de março, a exposição dedicada ao artista americano.

Assim como outras instituições culturais no país, reabriu as portas, dentro do desconfinamento progressivo, para receber os visitantes - alguns de máscara.

Eventualmente, um vigia do museu intervém para evitar um número excessivo de visitantes em uma mesma sala.

O museu se submeteu às medidas de proteção impostas pelas autoridades, como distanciamento social, máscaras, ou protetores em plexiglas para seus funcionários, entradas e saídas separadas, bilhetes com horário de visita imposto e número diário limitado de visitantes.

Antes do confinamento, a exposição recebia mais de 800 pessoas por dia. Agora, o limite é de 300, informa a Fundação.

"É um verdadeiro alívio para nós também que o museu tenha reaberto. Estamos entrando lentamente em uma espécie de rotina técnica que deve nos permitir recuperar certa normalidade", afirma o curador da exposição, Ulf Küster.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895