"Ninguém é dono do cinema", rebatem Irmãos Russo sobre críticas de Martin Scorsese a Marvel
capa

"Ninguém é dono do cinema", rebatem Irmãos Russo sobre críticas de Martin Scorsese a Marvel

Para os diretores, "Vingadores: Ultimato" foi um sucesso emocional

Por
Correio do Povo

Irmãos Russo dirigiram "Vingadores: Ultimato" que se tornou o filme com maior bilheteria de todos os tempos

publicidade

A discussão sobre as críticas de Martin Scorsese sobre os filmes da Marvel voltou desta vez com os Irmãos Russos, diretores de "Vingadores: Ultimato". Segundo o site The Hollywood Reporter, Joe e Anthony Russo rebateram a opinião do aclamado diretor que não considera como cinema as produções do Universo Cinematográfico da Marvel (MCU): "ninguém é dono do cinema".  

"Nós definimos cinema como um filme que pode aproximar as pessoas a ter uma experiência emocional compartilhada", disse Joe Russo durante o evento promocional do seu novo filme "Crime Sem Saída".

"Quando olhamos para a bilheteria de 'Vingadores: Ultimato', não vemos isso como um sucesso financeiro, mas como um sucesso emocional. É um filme que teve um impacto sem precedentes em todo o mundo, da maneira que eles compartilharam essa narrativa e da maneira que a vivenciaram", completou Joe.  

Já Anthony acrescentou: "A outra maneira de pensar sobre isso também é que ninguém é dono do cinema. Nós não somos donos do cinema. Você não é dono do cinema. Scorsese não é dono do cinema".

Os diretores também observaram que é difícil ter uma diálogo sobre cinema se alguém realmente não assistiu aos seus filmes. O próprio Martin Scorsese comentou que não conseguiu assistir as produções da Marvel. "Não é o cinema de seres humanos tentando transmitir experiências emocionais e psicológicas a outro ser humano", revelou o diretor de "O Irlandês", lançado recentemente nos cinemas. 

Muitos dos envolvidos nas produções do Universo Cinematográfico Marvel (MCU) saíram em defesa dos seus filmes como o diretor James Gunn, a atriz Natalie Portman e Robert Downey Jr. após críticas de diretores consagrados como Martin Scorsese, Fernando Meirelles e o próprio Coppola.