Noite de entrega dos Kikitos em Gramado

Noite de entrega dos Kikitos em Gramado

Festival de Cinema realiza, a partir das 21h deste sábado, a cerimônia de premiação a partir dos Palácio dos Festivais

Correio do Povo

O troféu Kikito é a estatueta de premiação do Festival de Cinema de Gramado e foi criado por Elisabeth Rosenfeld

publicidade

A grande noite de premiação das mostras competitivas do 48º Festival de Cinema de Gramado é realizada neste sábado, a partir das 21h. Neste ano, a cerimônia será virtual devido à pandemia da covid-19. A divulgação dos vencedores será transmitida ao vivo a partir do Palácio dos Festivais de Gramado. A transmissão poderá ser vista pelo Canal Brasil, na televisão e no YouTube, e pela TVE-RS, na televisão, site ou YouTube, além dos canais digitais do Festival de Cinema de Gramado (YouTube, site e Facebook). A edição multiplataforma foi a solução possível neste ano atípico.

Serão entregues os prêmios das categorias longa-metragem brasileiro, longa-metragem estrangeiro, longa-metragem gaúcho e curta-metragem brasileiro. O Kikito, estatueta do festival, sempre é bom lembrar, é uma criação da artista Elisabeth Rosenfeld. Como não será possível entregar os troféus presencialmente, eles serão enviados aos vencedores no decorrer dos próximos meses. 

Na categoria de longas brasileiros, são sete concorrentes. Este ano contou com dois documentários sobre músicos: “O Samba é Primo do Jazz”, sobre Alcione, e “Me Chama que eu Vou”, sobre Sidney Magal. Portanto, a categoria de atuação recairá sobre as ficções, “Por que Você Não Chora”, “Todos os Mortos”, “Um Animal Amarelo”, “Aos Pedaços” e “King Kong em Asunción”. Este último é protagonizado pelo ator Andrade Júnior, como um matador de aluguel, e foi rodado pelo diretor pernambucano Camilo Cavalcante em 2017. O ator, que residia em Brasília, morreu no ano passado. Caso ganhe a categoria de melhor atuação masculina, será uma homenagem póstuma.

Os longas estrangeiros exibidos são seis. As temáticas abordaram temas recorrentes relacionados à América Latina, como ditadura militar, exílio por motivos políticos ou econômicos e dramas sociais. Os filmes desta categoria são “El silencio del cazador”, de Martin Desalvo (Argentina), “La Frontera”, de David David (Colômbia), “Días de Invierno” (México), de Jaiziel Hernández, “El gran viaje al país pequeño” (Uruguai), de Mariana Viñoles, e “Matar a um muerto” (Paraguai), de Hugo Giménez, e “Los Fuertes”, de Omar Zúñiga (Chile).

Os longas gaúchos são cinco: “Contos do Amanhã”, de Pedro de Lima Marques (Porto Alegre), “Deborah! O Ato da Casa”, de Luiz Alberto Cassol (Santa Maria), “Portuñol”, de Thais Fernandes (Porto Alegre), “Ten-Love”, de Bruno de Oliveira (Porto Alegre), e “Trapaça”, de Luke Schatzmann (Porto Alegre).

O evento segue também incentivando jovens talentos através do Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema - Mostra Gaúcha de Curtas-metragens, que foi entregue na última quarta-feira. “Construção”, de Leonardo da Rosa, foi escolhido o Melhor Filme nesta categoria.

Os 19 curtas gaúchos que concorreram na Mostra Gaúcha foram disponibilizados pelo site do Festival. O Prêmio Assembleia Legislativa de Cinema - Mostra Gaúcho de Curtas é uma promoção da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul em parceria com a Prefeitura Municipal de Gramado, firmada por meio de Termo de Acordo de Mútua Colaboração, com a interveniência da Autarquia Municipal de Cultura e Turismo de Gramado - Gramadotur. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895