Novo livro de Fernando Lucchese dá dicas de como ser mais saudável após doença
capa

Novo livro de Fernando Lucchese dá dicas de como ser mais saudável após doença

“Segunda Chance - A vida depois da doença” será lançado hoje na Feira do Livro

Por
Correio do Povo

Como médico, Lucchese já realizou 30 mil cirurgias cardíacas

publicidade

Nesta terça-feira, a Praça de Autógrafos da 65ª Feira do Livro recebe um personagem que tem relevância tanto na área de saúde como na literatura do Rio Grande do Sul e do Brasil. Às 18h30min, o cirurgião cardiovascular e escritor Fernando Lucchese autografa seu novo livro: “Segunda Chance - A vida depois da doença”. Autor de 19 títulos, que somaram dois milhões de exemplares vendidos, Lucchese – desde 1988 diretor do Hospital São Francisco da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, onde realizou mais de 30 mil cirurgias cardíacas − aborda diferentes formas de se ter uma vida feliz quando se consegue superar uma doença grave. 

O livro, lançado pela L&PM Editores, sugere que é preciso mudar o estilo de vida e abraçar a felicidade para deixar para traz a enfermidade. Em capítulos curtos, “Segunda Chance - A vida depois da doença” oferece dicas práticas para deixar os maus hábitos de lado e para conviver melhor com as limitações que podem surgir depois da cura. São histórias de superação que vêm acompanhando Lucchese ao longo de seus 50 anos de carreira médica, muitos deles vivenciados em seu consultório ou na sala de cirurgia. “Se você já esteve doente, este livro abrirá caminhos para uma segunda chance de vida saudável e feliz”, diz.

O médico também ressalta que, se a pessoa nunca esteve doente, a obra ajudará a corrigir erros atuais para que no futuro não venham a provocar prejuízos à saúde. “Falar sobre a doença e tentar aprender com a experiência de outros é a melhor forma de prevenir, de evitar’, completa. 

Na página 81 do livro que será autografado amanhã, Fernando Lucchese chama atenção para uma crença que acompanha um grande número de pacientes: a de que a doença é um castigo de Deus. “A doença da culpa antecede a doença física e talvez possa até ser responsável por ela. Deus não tem nada a ver com isso. Adoecemos por múltiplas causas (...). Ou simplesmente porque encontramos um vírus ou uma bactéria em nosso caminho”, aponta o trecho.

Três verdades

Em outra passagem, o médico avalia que o ser humano não está preparado para adoecer. É sempre uma surpresa desagradável, em especial se estiver se tratando de uma moléstia grave. “A primeira verdade que aprendemos com a doença é que somos vulneráveis e que, subitamente, o curso da nossa história pode mudar. A segunda verdade é muito mais simples. Nunca achamos que nos acontecerá e por isso não nos prevenimos. A terceira verdade que aprendemos com a doença é que nossa memória é fugaz. Quem quer encarar a segunda chance com sucesso deve dedicar-se a mudar seu estilo de vida e a ser feliz”, aconselha.

Há duas décadas, o médico lançava o primeiro livro da série “Pílulas”− “Pílulas para Viver Melhor”. Combinando uma abordagem científica com conselhos úteis para se ter uma vida mais saudável, suas obras costumam oferecer orientações práticas para a prevenção e o tratamento de doenças. Entre elas figuram ainda “Comer Bem, sem Culpa”, “Desembarcando a Diabetes”, “Não Sou Feliz: Por quê” e “Coração, Modo de Usar”.