Novo livro de J. K. Rowling começa a ser publicado on-line em português
capa

Novo livro de J. K. Rowling começa a ser publicado on-line em português

Crianças são convidadas a desenhar sobre os contos

Por
AE e Correio do Povo

Crianças são convidadas a desenhar inspiradas na história de 'O Ickabog'.


publicidade

"The Ickabog", um conto de fadas escrito pela britânica J. K. Rowling ao longo de 10 anos, começou a ser publicado capítulo por capítulo on-line no dia 26, como uma forma de entreter as crianças em quarentena ao redor do mundo. Agora, a história começa a ser publicada em português - e também em francês, alemão, italiano e espanhol. Os cinco primeiros capítulos foram publicados no site do projeto: https://www.theickabog.com/pt/home/. Escrito para ser lido em voz alta, "O Ickabog" é ambientado em uma terra imaginária e é uma história completa e independente, não relacionada a outras obras da autora (como "Harry Potter").

Conforme explica a autora, "'The Ickabog' é uma história sobre verdade e abuso de poder. A ideia surgiu para mim mais de uma década atrás, ou seja, ele não foi escrito intencionalmente como uma resposta a nada do que está acontecendo no mundo hoje. Os temas são atemporais e dizem respeito à qualquer tempo ou país". O lançamento dos capítulos vai terminar no dia 17 de julho (e no dia 10, no caso dos textos em inglês). Em novembro, "The Ickabog" sairá em edição física e em e-book, e J. K. Rowling já anunciou que vai doar seus direitos autorais para grupos que sofreram mais o impacto do coronavírus.

No Brasil, o livro será publicado pela Rocco. No Twitter, Rowling tem comentado os desenhos que recebe das crianças que estão lendo seu novo livro. Alguns deles serão escolhidos para a publicação, como parte de um concurso do qual os brasileiros também podem participar. Vale para crianças de 7 a 12 anos e ele está sendo organizado no Brasil pela editora Rocco  (www.rocco.com.br/oickabog). O desenho vencedor vai ilustrar a edição brasileira.


A escritora, no entanto, interrompeu as postagens com desenhos infantis que vinha fazendo para comentar o assassinato de George Floyd. "Parei de comentar os desenhos porque, como todo mundo, estou assistindo ao que está acontecendo nos Estados Unidos. Qualquer coisa que eu diga soa inadequado. Tudo o que sei é que o mundo precisa mudar. As estruturas de poder precisam mudar. As pessoas brancas precisam mudar. #BlackLivesMatter", escreveu em seu perfil que é seguido por 14,5 milhões de seguidores.