Novo streaming focado em cinema independente e autoral estreia no Brasil

Novo streaming focado em cinema independente e autoral estreia no Brasil

Supo Mungam Plus reúne filmes exclusivos e obras restauradas de diversos países

Lou Cardoso

Filme "Wendy e Lucy", de Kelly Reichardt, já está no catálogo do streaming

publicidade

Estreou, nesta quarta-feira, a Supo Mungam Plus, um streaming brasileiro focado em cinema independente e autoral. Disponível para qualquer cidade do Brasil, o serviço chega com catálogo de filmes contemporâneos, clássicos e obras restauradas de diretores e diretoras renomados do cinema mundial. A plataforma, que é uma extensão da distribuidora brasileira Supo Mungam Films, trará histórias e culturas de mais de 20 países como França, Japão, Alemanha, Mali, China, Polônia, México, Islândia, Tunísia, República Tcheca, entre outros. 

Segundo a diretora da Supo Mungam Films, Gracie Pinto, a ideia da criação da plataforma existe desde 2017. "Queremos apresentar esses filmes para novos públicos assim como para quem deseja revê-los. É muito importante para mim, como mulher, também mostrar obras incríveis de grandes diretoras", afirmou. "Existem muitos filmes que merecem ser vistos, e às vezes ficam escondidos ou passam despercebidos, e nossa intenção é promover eles através da plataforma, para que se conectem com as pessoas, pois acreditamos que podem fazer parte da vida delas, assim como fazem da nossa", completou. 

Com sete dias iniciais de graça, o usuário tem duas opções de assinaturas - mensal por R$23,90, ou anual, por R$199,90 - onde terá acesso ilimitado para todos os conteúdos da plataforma podendo assistir no computador, smartphone, tablet ou televisão. Todos os filmes possuem legenda e estão disponíveis em full HD.

Entre os títulos já confirmados estão "O Doce Amanhã" e "Exótica" de Atom Egoyan, "Filhos da Guerra" de Agnieszka Holland, "Quando Éramos Bruxas" de Nietzchka Keene e estrelado pela cantora Björk, "Wendy e Lucy" de Kelly Reichardt e "Bamako" de Abderrahmane Sissako.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895