"O cinema é filho do circo", diz Cacá Diegues

"O cinema é filho do circo", diz Cacá Diegues

Diretor estreou "O Grande Circo Místico" no 46º Festival de Cinema de Gramado

Lou Cardoso

Diretor Cacá Diegues exibiu "O Grande Circo Místico" nessa sexta no 46º Festival de Cinema de Gramado

publicidade

O cinema e o circo possuem o compromisso de levar a fantasia para aqueles que o assistem. Foi pensando nesta mistura que o diretor Cacá Diegues realizou "O Grande Circo Místico", exibido na abertura do 46º Festival de Cinema de Gramado, como uma homenagem a esta arte popular que aprecia desde da sua infância. "Toda a minha formação dramatúrgica começou no circo", afirmou. "O circo é uma forma de você ver o mundo de outra maneira. Através do riso, da experiência, e o cinema também, de certo modo, é isso. O cinema é filho do circo".

O papel feminino tem um fator especial em "O Grande Circo Místico". Segundo Diegues, a proposta de colocar o protagonismo nas mãos de várias mulheres foi uma forma mostrar a força delas dentro de uma família. "Eu não tenho pretensão de achar este filme feminista, mas claro que ele é um filme sobre mulheres que conduzem o filme. Esta condução é sempre enfrentando as interdições masculinas", explicou.

O amor também é outro papel importante para Cacá Diegues neste filme. "A família existiu em torno disso mesmo, do amor pelo circo, o amor um pelo outro, às vezes trouxa, em outras torto. O filme também foi feito com muito coração também", brincou.

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895