Organização de DiCaprio doa R$ 12 milhões para combater incêndio na Austrália
capa

Organização de DiCaprio doa R$ 12 milhões para combater incêndio na Austrália

Problema atinge país desde setembro e já matou 27 pessoas, além de ter deixado 2 mil casas destruídas

Por
AE e Correio do Povo

Earth Alliance, comandada por DiCaprio, irá doar 12 milhões para ajudar na contenção dos incêndios na Austrália

publicidade

A organização ambiental Earth Alliance, de Leonardo DiCaprio, doará 3 milhões de dólares (cerca de R$ 12 milhões) para ajudar nos esforços de combate a incêndios na Austrália. A fundação informou nesta quinta-feira que iniciou o Fundo Austrália para Incêndios para contribuir com uma "resposta internacional aos incêndios catastróficos" atualmente em curso no país.

Os incêndios florestais queimaram uma área com o dobro do tamanho do estado americano de Maryland, matou pelo menos 27 pessoas e destruiu 2 mil casas. Os incêndios, alimentados pela seca e pelo ano mais quente do país, já estão em andamento desde setembro, meses antes do que é típico da temporada anual de incêndios florestais na Austrália.

DiCaprio atua como copresidente da Earth Alliance, juntamente com os filantropos Laurene Powell Jobs e Brian Sheth. A organização foi lançada no ano passado para combater as mudanças climáticas e a perda de biodiversidade. O fundo trabalhará com organizações parceiras locais da Austrália, incluindo Aussie Ark, Bush Heritage e Wires Wildlife Rescue.

O artista se junta a uma lista crescente de outras celebridades que se uniram para doar muito dinheiro. O ator australiano Chris Hemsworth e Elton John, que ofereceram um milhão de dólares no início desta semana. Nicole Kidman, Pink e Keith Urban também doaram. O Metallica disse que doará 750 mil dólares para uma agência de combate a incêndios e serviços de emergência em Victoria. Phoebe Waller-Bridge disse que leiloaria sua roupa do Globo de Ouro e fará com que os lucros sejam enviados aos bombeiros.

DiCaprio se viu em polêmica com o presidente Jair Bolsonaro em novembro do ano passado. Na ocasião, o mandatário acusou o ator de financiar incêndios criminosos no Brasil após quatro brigadistas serem presos em Alter do Chão (PA) por supostamente terem cometido o crime. A fala de Bolsonaro foi criticada pela mídia internacional. Jornais como o The New York Times e Washington Post, ambos dos Estados Unidos, afirmaram que o presidente não apresentou nenhuma prova para sustentar suas declarações sobre DiCaprio.