Os sonhos na pandemia são fonte de inspiração do novo espetáculo do Galpão

Os sonhos na pandemia são fonte de inspiração do novo espetáculo do Galpão

Grupo mineiro coletou mais de 159 sonhos neste período, que serviram de base para a pesquisa de "Sonhos de uma Noite com o Galpão", com apresentações gratuitas

Correio do Povo

Atriz Teuda Barra em cena de "Sonhos de uma Noite com o Galpão"

publicidade

"Sonhos de uma Noite com o Galpão" é o novo espetáculo do grupo mineiro Galpão, que faz uma viagem onírica, poética e essencialmente teatral, a partir da coleta e da pesquisa de mais de 150 sonhos nesse período de pandemia. A temporada ocorre até 12 de setembro, com apresentações sempre aos sábados e domingos, 20h, pela plataforma Zoom. Ingressos gratuitos, pelo Sympla, em número limitado. 

Pedro Brício assina o texto e direção do trabalho, que mergulha no universo dos sonhadores, convidando o público a compartilhar desta experiência e adentrar nestas frestas que misturam teatro e audiovisual. O resultado é um exercício de grande liberdade cênica, que divide com o público questões sobre o modo como sonharemos o futuro, se estamos sonhando coletivamente, se nossos sonhos têm revelado traumas do período de isolamento e pandemia e até onde, artisticamente, podemos ampliar a própria experiência do sonhador. Conforme o diretor, alguns sonhos são encenados e outros contados com humor e poesia. 

Há uma parte filmada, em que cada ator convidou duas pessoas, que mandaram relatos de seus sonhos, para um encontro, que aconteceu no Galpão Cine Horto (Belo Horizonte) e a maior parte, ao vivo. Esta é a segunda montagem do projeto Dramaturgias, que até dezembro prevê cinco espetáculos com linguagens diferentes. No elenco, Antonio Edson, Eduardo Moreira, Inês Peixoto, Lydia Del Picchia, Simone Ordones e Teuda Bara.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta sexta-feira, dia 12 de julho de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895