Ospa lamenta morte da harpista Norma Holtzer

Ospa lamenta morte da harpista Norma Holtzer

A musicista foi grande precursora do instrumento no Brasil e primeira harpa da Orquestra Sinfônica de Porto Alegre durante muitos anos

Correio do Povo

Norma Holtzer Rodrigues no palco da Casa da OSPA, em 4 de maio de 2018. Crédito: Maí Yandara.

publicidade

A Fundação Orquestra Sinfônica de Porto Alegre lamenta o falecimento da harpista Norma Holtzer Rodrigues. A musicista foi grande precursora do instrumento no Brasil e primeira harpa da OSPA durante muitos anos. Mesmo após a sua aposentadoria, retornava com frequência para participar dos concertos da OSPA.

O primeiro instrumento de Norma foi o piano, que aprendeu com a mãe, violinista da OSPA. Graduou-se no Instituto de Artes da UFRGS e foi, ainda estudante, solista da OSPA por diversas vezes. Por sugestão do maestro da OSPA Pablo Komlós, começou seus estudos de harpa, que lhe abriram muitas portas. Na Europa, estudou na Escola Superior de Música de Munique, integrou a Orquestra da Rádio da Baviera, a Orquestra Mozarteum de Salzburgo.

No Brasil, além da OSPA, Norma foi primeira harpa da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp) e da Orquestra Sinfônica Municipal de São Paulo. Manteve ainda intensa atividade como solista e camerista, além de ter integrado o quadro docente do Festival de Inverno de Campos de Jordão, em São Paulo.

Norma faleceu na quinta-feira, 4 de agosto, em Porto Alegre. Seu velório será realizado nesta sexta-feira, dia 5 de agosto,  às 15h no Cemitério Ecumênico João XXIII, sito na Avenida Natal, 60, Bairro Medianeira. 

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895