Pandemia gera interesse sobre filmes do gênero

Pandemia gera interesse sobre filmes do gênero

Diversas produções já abordaram o tema

Adriana Androvandi

Em "Contágio", um vírus novo surge no Oriente e se espalha para os Estados Unidos

publicidade

Muitos são os filmes que abordam o tema de vírus altamente contagiosos que atacam a espécie humana. Alguns se mantêm na esfera do drama médico e sanitário, com a disseminação de cepas pelo ar (gotículas via aerossol) ou toque. Outros pendem para o terror, especialmente quando a forma de contágio é por mordida de infectados, que não raro tem a aparência de zumbis, e enveredam para um futuro apocalíptico.

Confira alguns títulos do gênero:

• "Contágio" (2011): Atualmente dois filmes com mesmo títulos estão disponíveis em plataformas de streaming. “Contágio”, dirigido por Steven Soderbergh está sendo considerado premonitório e se tornou bastante assistido nas últimas semanas. Com um roteiro coerente e fruto de muita pesquisa, tem sido badalado por ser muito semelhante ao que se vive atualmente. Na trama, um vírus novo surge no Oriente e se espalha para os Estados Unidos através uma executiva (Gwyneth Paltrow), que retorna infectada da viagem. 

Trata-se de um filme “coral”, com vozes de vários personagens, como o marido (Matt Damon) da infectada. Ele é um dos poucos imunes. Também entram em cena cientistas, jornalistas e governantes. Mas o vírus deste drama é bem mais letal do que o Covid-19. Se o real tem a taxa de mortalidade entre 2 a 4%, no filme é informado que é de 20%  inicialmente, mas depois parece ultrapassar esta marca. O roteirista do filme, Scott Z. Burns, entrevistado pela CNN, disse, contudo, que não poderia prever a reação do governo atual dos EUA, a qual ele considera com vários equívocos. 

• "Contágio" (2015): O outro filme “Contágio – Epidemia Mortal”, de Henry Hobson traz Arnold Schwarzenegger como um pai que acompanha a transformação da filha adolescente (Abigail Breslin) após ela ser mordida por um infectado, em um processo que pode levar meses. O nome do vírus fictício que causa um surto global é "necroambulista" e gera agressividade nos contaminados. 

• "Eu Sou a Lenda" (2008): Will Smith é um cientista que sobrevive a uma epidemia. Ele vive em Nova Iorque, que se torna deserta. Seu único companheiro é seu cachorro, que também contracena com o protagonista em uma das cenas mais tocantes do longa. Com direção de Francis Lawrence, esta produção foi uma das primeiras que lançou a atriz brasileira Alice Braga na carreira internacional.

• "Extermínio" (2002): Com direção de Danny Boyle, a trama acompanha um jovem paciente (Cillian Murphy) que acorda em um hospital abandonado. Ele sai a caminhar pelas ruas de Londres e descobre que houve uma evacuação em massa devido a uma praga que transforma a maioria da humanidade em zumbi. Ele consegue encontrar um grupo não infectado, que decide procurar uma fortaleza militar em Manchester. 

• "O Enigma de Andrômeda" (1971): Inspirado no livro homônimo de autoria de Michael Crichton, esta ficção científica dirigida por Robert Wise começa com a queda um satélite no estado do Novo México. Junto com o objeto, chega um micro-organismo que dizima toda a população de uma pequena cidade, menos um bebê e um idoso. Um grupo de pesquisadores tenta desvendar o mistério em uma base secreta. Um clássico.

• "Ensaio sobre a Cegueira" (2008): Baseado no livro de José Saramago, este drama chegou ao cinema pelas mãos do diretor brasileiro Fernando Meirelles numa produção internacional. Uma epidemia chamada "Cegueira Branca" se espalha, deixando os infectados cegos. Uma mulher (Julianne Moore) é imune, mas tenta esconder isso. O enfoque recai sobre as relações de poder que se instauram e como situações-limite fazem surgir o pior lado de muitas pessoas. 

• "Epidemia" (1995): Um médico (Dustin Hoffman) do Exército e sua equipe lutam para salvar os habitantes de uma pequena cidade contra a propagação de um vírus mortal trazido da África por um macaco transportado por navio de forma clandestina para a Califórnia (EUA). Direção de Wolfgang Petersen. Também integram o elenco Morgan Freeman, Rene Russo, Kevin Spacey e Donald Sutherland.

• "Guerra Mundial Z" (2013): Um vírus letal se espalha rapidamente e transforma seres humanos em zumbis. O ex-agente da ONU Gerry Lane (Brad Pitt) é chamado para investigar a epidemia. Ao deixar a família em um lugar seguro, ele viaja para outros países para procurar um antídoto. Direção de Marc Foster. Um sucesso na época de seu lançamento.

• "O Mundo sem Ninguém (2009): Documentário do History Channel faz um exercício de previsão do que aconteceria com o planeta caso a raça humana fosse extinta. Com direção de David de Vries , entrevistas com especialistas projetam o que ocorreria. 

A vegetação invadiria casas e prédios, tomando conta dos espaços urbanos. Tudo que é feito de madeira e papel iria se decompor. Em centenas de anos, a falta de manutenção faria prédios caírem. Através de computação gráfica, a produção mostra como seria o desabamento de construções icônicas como a Torre Eifel e o Empire State. 

• "Vírus" (2013): Uma versão sul-coreana para uma epidemia pode ser vista em “Vírus” (Flu), do cineasta Kim Sung-Su, disponível na Netflix. Em Bundang,  subúrbio de Seul, chega uma epidemia devastadora. O caos se instaura. Uma cientista procura um homem que, ao que tudo indica, é imune para tentar desenvolver a vacina contra o vírus. 

• "Vírus" (2019): Produzida na Índia, o suspense médico é uma ficção baseada em fatos reais. O filme mostra como a união de uma comunidade foi capaz de enfrentar o surto do vírus chamado Nipah, que se alastrou por toda a cidade. Direção do cineasta Aashiq Abu. Disponível na Amazon.  


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895