Patrimônio é tema de livro e de live

Patrimônio é tema de livro e de live

A importância da conservação do patrimônio da metade Sul do Estado é um dos temas que serão debatidos

Correio do Povo

Edificações feitas com o uso do estuque estão no foco da pesquisa

publicidade

O livro “Os Saberes e Os Fazeres no Patrimônio Histórico – Estuque em Jaguarão”, da arquiteta Simone R. Neutzling, é tema de um debate on-line nesta terça-feira. A importância da preservação e da conservação do patrimônio histórico e cultural da metade Sul do Estado é a proposta para a publicação, que enfoca o estuque, muito usado em paredes, forros e ornamentos. A intenção é promover o conhecimento e enfocar o trabalho de artífices, desde a construção, no período compreendido entre 1880 e 1930, até os dias atuais, na preservação e restauração.
A publicação traz a história da arquitetura de Jaguarão, as características mais importantes da técnica e um passo a passo ilustrado das atividades que fazem parte de restaurações em locais marcantes do município, como o Theatro Esperança. A iniciativa da compilação dos manuais é da arquiteta Simone R. Neutzling, doutoranda em Memória Social e Patrimônio Cultural pela UFPel e tem a produção executiva da jornalista Yara Baungarten, da Imagina Conteúdo Criativo, mestre em Comunicação Social pela PUCRS. A escolha das técnicas e dos locais coincide com a experiência in loco, adquirida durante a carreira da arquiteta.
Para divulgar o trabalho, o tema será abordado em palestra on-line e gratuita, hoje, a partir das 19h, na página do Facebook da Perene Patrimônio Cultural. Na ocasião, estarão reunidas na live a autora Simone, a produtora Yara e as professoras Cláudia Anahí Aguilera Larrosa (IFSul/Jaguarão), Maria de Fátima S. Barbosa (Urcamp/Bagé) e Rita Juliana S. Poloni, da UFPel. O apoio visual é da Noz Audiovisual. O trabalho está sendo possibilitado por fundos de financiamento público. O projeto que trata do estuque, em Jaguarão, conta com o financiamento do Fundo de Apoio à Cultura (FAC), da Secretaria da Cultura do RS.
O estuque é uma argamassa que, por sua dureza e resistência, foi muito utilizada no período da arquitetura eclética, como estrutura, suporte e estética dos exemplos construtivos. Em toda metade Sul do Estado, foi aplicado com diferentes finalidades nas edificações; internamente, na execução de paredes divisórias de ambientes e de forros, planos e em relevo. Externamente, o estuque é encontrado como elemento decorativo na ornamentação de fachadas. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895