Primeira noite do Carnaval de Porto Alegre tem samba com canto à capela da Império do Sol

Primeira noite do Carnaval de Porto Alegre tem samba com canto à capela da Império do Sol

Escola fechou a etapa inicial de desfiles que serão retomados na noite deste sábado

Gabriel Guedes

Colorido da Império do Sol encerrou a primeira noite de desfiles do Carnaval de Porto Alegre

publicidade

Apresentando um samba diferenciado, com canto à capela e com direito à paradinha da bateria, a Império do Sol, uma das integrantes da Série Ouro do Carnaval de Porto Alegre, realizou uma grande performance e brindou o público que decidiu ficar no Porto Seco até a manhã deste sábado. 

Responsável por encerrar a primeira noite de desfiles, que começou ainda nessa sexta-feira, a Império do Sol, campeã da Série Prata em 2019, mostrou serviço na avenida. Apesar do enredo "Façam suas apostas, o jogo começou", a escola veio com disposição para conseguir o segundo título consecutivo.   

Fantasias da Império do Sol chamaram a atenção na avenida / Foto: Alina Souza 

O enredo da Império do Sol foi interpretado por Joel Alves, mas o intérprete não estava sozinho e teve ao seu lado diversos puxadores para embalar a agremiação. 

 

Até o Coringa deu as caras no desfile da Império do Sol / Foto: Alina Souza 

O Carnaval de Porto Alegre sem uma polêmica não seria o mesmo. Na edição 2020, a Vila do IAPI, também representante da Série Ouro, passou por dificuldades momentos antes do seu desfile iniciar. 

A Unidos da Vila do IAPI foi a única escola de samba a enfrentar dificuldades para desfilar. Mas foi no início, quando a saída da agremiação atrasou e acabou sendo adiada, e demorando mais que os 10 minutos entre uma escola e outra, o que acabou gerando uma certa tensão com os dirigentes concorrentes, inclusive com empurra-empurra. Mas o presidente da Unidos da Vila do IAPI, Silvio Marçal, explicou o acontecido: "Foi por atraso do equipamento que a liga e a produtora disponibilizaram. Eles levaram de 45 a 50 minutos para colocar os oito destaques. E tinha uma segunda alegoria que tinha 30 destaques. Procurei a organização preocupado, depois eles apareceram, e aí o problema se resolveu", garantiu.

Passado o transtorno, a IAPI começo a desfilar junto com o amanhecer do sábado em Porto Alegre. O samba-enredo era "De azul, vermelho e branco, eu sou a vila que vocês pediram a Deus". A agremiação surgiu em 1980, mas até 1983 usava verde e branco. E agora desfila sob as cores do raiar do dia. 

Vila do IAPI na avenida do Porto Seco trazendo seu samba / Foto: Alina Souza 

 

O samba da Vila foi puxado pelo intérprete Jerson Silva, o Borracha. 

Mais cedo, durante a madrugada, a avenida foi da Império da Zona Norte, que decidiu homenagear o ex-prefeito e ex-governador Olívio Dutra. A escola fundada em 1975, levou para o Porto Seco o enredo "O galo missioneiro canta na Zona Norte". 

 

Olívio Dutra esteve na avenida no desfile da Império da Zona Norte / Foto: Alina Souza 

 

 

O amarelo da Império da Zona Norte coloriu o Porto Seco / Foto: Alina Souza 

Antes da Império da Zona Norte, o Porto Seco testemunhou o retorno da Onça Negra. Também integrante da Série Ouro, a Acadêmicos de Gravataí ingressou na avenida de forma imponente, já que no ano passado a escola havia optado por não participar da festa do Carnaval de Porto Alegre. 

A agremiação, que tem as cores vermelho, preto e branco, foi fundada em fevereiro de 1961 e trouxe o enredo "Kilombo". 

 

A onça negra se fez presente na avenida / Foto: Alina Souza 

 

Destaque da Acadêmicos de Gravataí / Foto: Alina Souza 

Série Prata 

Os desfiles das escolas da Série Prata começaram com a Academia de Samba Puro, ainda na noite de sexta-feira. As cores azul, amarelo e branco e o pandeiro sobre mão são as marcas registradas da Academia de Samba Puro e estão resumidas no primeiro carro alegórico. 

 

 

A escola decidiu homenagear ninguém menos do que Renato Portaluppi, ídolo e atual técnico do Grêmio. A agremiação colocou na avenida um carro alegórico que tinha como destaque a estátua do treinador na época em que era jogador. 

Bateria da Academia de Samba Puro durante o desfile / Foto: Alina Souza 

Fidalgos e Aristocratas também marcou presença no Porto Seco com o enredo "Não tenha medo, não se avexe! Sou Fidalgos, sou nordeste, sou cabra da peste!". O que chamou a atenção no desfile foi a manobra feita pela bateria para entrar no recuo. 

 

Nordeste teve parte de sua história contada no Porto Seco / Foto: Alina Souza 

Ainda pela Série Prata, Copacabana trouxe para a avenida o enredo "A criação do mundo na tradição africana". Entre os muitos destaques da escola, um em particular chamou a atenção. Na ala das baianas, uma das integrantes estava utilizando uma cadeira de rodas, representando a inclusão no Carnaval de Porto Alegre. 

 

Casal de metre-sala e porta-bandeira no desfile da Copacabana / Foto: Alina Souza 

Encerrando os desfiles da Série Prata, a Realeza criou o enredo "Sagrados cantos da minha encruzilhada". Lilás, branco e rosa são as cores da escola. 

 

 

 

Realeza ingressando na avenida do Porto Seco / Foto: Alina Souza 

Série Bronze 

Na série bronze, quem começou o desfile no Complexo Cultural Porto Seco foi a escola Filhos de Maria, com o samba-enredo "Okuta", que abordou a pedra sagrada dos orixás. A próxima a ocupar a Avenida foi a Protegidos de Princesa Isabel. Na ocasião, o intérprete da escola Ricardo Rodrigues lamentou a falta de público no início da passagem. O desfile da Filhos de Maria foi marcado por cores vivas em um enredo que homenageou seus 50 anos de bateria e o povo negro. 

Integrante da Filhos de Maria durante o desfile / Foto: Alina Souza 

Foliã da Protegidos da Princesa Isabel / Foto: Alina Souza 

Última a se apresentar da série bronze, a Mocidade Independente da Lomba do Pinheiro começou o desfile com a avenida tomada apenas por mulheres, que carregavam o símbolo do feminismo nas vestimentas. Com carnavalescos de todas as idades, a escola fechou a noite com apresentações de cores vibrantes e uma bateria potente.

Mocidade iniciando o desfile no Porto Seco / Foto: Alina Souza 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895