Projeto Meu Filme Favorito debate “Relatos Selvagens”

Projeto Meu Filme Favorito debate “Relatos Selvagens”

Em sua terceira edição, tem a participação da escritora Paula Taitelbaum e do jornalista Roger Lerina

Filme traz personagens sem filtro em situações-limite


publicidade

Nesta quinta-feira, o projeto Meu Filme Favorito, do Instituto Ling, chega à terceira edição, com o debate de “Relatos Selvagens” (2016), a partir das 18h30min, ao vivo, pela plataforma Zoom. A escritora Paula Taitelbaum coversará com o público sobre uma de suas produções cinematográficas preferidas, ao lado do jornalista cultural e crítico Roger Lerina. Para participar o interessado deve fazer inscrição prévia e gratuito pelo site www.institutoling.org.br.

O longa-metragem argentino dirigido por Damián Szifron mistura drama, comédia e suspense, ao reunir seis episódios de vingança vividos por diferentes personagens em situações fora de controle, como uma traição amorosa, um retorno do passado, uma tragédia e até um evento cotidiano. Produzida por Pedro Almodóvar e seu irmão Agustín, a obra tem participação de Ricardo Darín, um dos mais populares e requisitados atores argentinos. O filme foi vencedor do prêmio Goya, o Oscar do cinema espanhol, na categoria de Melhor Filme Ibero-Americano, e foi o maior vencedor do Prêmio Platino do Cinema Ibero-Americano, faturando oito estatuetas na cerimônia, incluindo a de Melhor Filme. Também foi indicado ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro e a Palma de Ouro do Festival de Cannes, e foi eleito pelo público como o Melhor Filme de Ficção Internacional da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo.

Paula Taitelbaum é apaixonada pela palavra, tanto em sua forma escrita, como falada ou imaginada. Nos anos 80, iniciou seu trabalho como atriz no Grupo Pé de Palco, dirigido por Júlio Conte e nos 90, formou-se em Publicidade e Propaganda. Trabalhou como redatora publicitária e roteirista e lançou os livros poemas “Eu versos Eu” (1998) e “Sem Vergonha” (1999). A partir dos 2000, firmou-se como escritora, lançou novos livros, participou de coletâneas de poesia e crônica, passou a colaborar com jornais e revistas e escreveu livros com foco em história, em coautoria com Eduardo Bueno. Adentrou o mundo do livro infantil, lançando “Palavra vai, palavra vem” (2013), “Bichológico” (2016), “Pra que serve um dedo?” (2017), “Ora Bolas” (2019) e “Poupou” (2019). Atualmente, dedica-se a escrever, é gerente de comunicação da L&PM Editores e também uma das sócias fundadoras da Editora Piu.