Representatividade negra e imigração marcam Cine Esquema Novo 2019
capa

Representatividade negra e imigração marcam Cine Esquema Novo 2019

Mostra competitiva começa nesta quinta-feira apresentando ao todo 33 obras

Por
Correio do Povo

Performance “Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta" faz parte da programação do evento este ano

publicidade

Na próxima quinta-feira, vai começar o Cine Esquema Novo 2019 – Arte Audiovisual Brasileira (CEN). O festival, que chega à 13ª edição, terá quatro mostras, rodadas de negócios, seminário e oficinas que integram a programação, que seguirá até 27 de novembro. As atividades ocorrerão na Cinemateca Capitólio Petrobras, Goethe-Institut, Hub Criativa Birô, Laboratório de Fotografia do Instituto de Artes da Ufrgs e Teatro Quilombo das Artes Utopia e Luta. Os curadores são Gustavo Spolidoro, Jaqueline Beltrame, Ramiro Azevedo e Vinicius Lopes. 

A Mostra Competitiva Brasil apresenta 33 obras, 28 delas exibidas em sala de cinema e quatro videoinstalações expostas no Goethe-Institut. Temáticas como acessibilidade, imigração, memória, questões indígenas, representatividade negra, política, entre outras, pautam os títulos selecionados de dez estados e quatro produções assinadas por brasileiros realizadas no exterior (ou em coprodução). Destaque também para “Corre Quem Pode, Dança Quem Aguenta” e “Intervenção Jah”, do ator e performer natural de Guiné-Bissau Welket Bungué, que apresenta uma discussão sobre violência e será exibida no Capitólio. 

Dos selecionados para a Mostra Competitiva, sairá o ganhador do Grande Prêmio Cine Esquema Novo, com um troféu assinado por Luiz Roque, criado especialmente para o CEN, além de prêmios em serviços em estúdios e fotografia. O júri deste ano é composto pela realizadora Camila Leichter, a crítica de arte e curadora Gabriela Motta e ator e o diretor Silvero Pereira.

Novidades

Uma novidade deste ano é a mostra “Outros Esquemas”, que conta com 15 produções que serão exibidas na Cinemateca Capitólio a partir de 22 de novembro. A mostra surge de um desejo do time de curadores em contemplar um espaço de expressão diferente da “Mostra Competitiva Brasil”. Estes 15 filmes concorrem ao voto do público. Outra atividade é a mostra “Audiovisual em Curso”, que tem alunos-curadores e será competitiva.