Reunião entre Prefeitura e classe artística busca aprimorar edital sobre Cinemateca Capitólio
capa

Reunião entre Prefeitura e classe artística busca aprimorar edital sobre Cinemateca Capitólio

Encontro ocorreu na tarde dessa terça-feira, na sede da Secretaria Municipal de Cultura

Por
Correio do Povo

Edital sobre Cinemateca Capitólio deverá sair ainda no primeiro trimestre

publicidade

Depois de lançar o edital para contratualização da Pinacoteca Ruben Berta e do Atelier Livre, na última quinta-feira, a prefeitura de Porto Alegre está analisando sugestões da classe artística para o edital referente à formação de parceria para gestão da Cinemateca Capitólio. Nessa terça-feira, as secretarias municipais da Cultura (SMC) e de Parcerias Estratégicas (SMPE) reuniram representantes de associações ligadas ao cinema. O encontro, na sede da SMC, localizada na Casa Torelly, foi o segundo feito com o objetivo de aprimoramento do edital, que deverá ser lançado ainda neste primeiro trimestre. 

Representantes da Associação dos Profissionais de Técnicos Cinematográficos (APTCRS), do Sindicato da Indústria Audiovisual (SIAV-RS) e da Associação de Críticos do Rio Grande do Sul (ACCIRS) apresentaram as suas primeiras contribuições ao edital. A contratualização prevê a parceria com uma organização da sociedade civil (OSC), que ficará responsável pela administração da Cinemateca Capitólio e pelas atividades realizadas no local, com supervisão da SMC.

Ao longo das próximas semanas, serão feitos ajustes no edital levando em consideração as sugestões recebidas. O trabalho terá a participação da Coordenação de Audiovisual da SMC e da equipe da SMPE.

 

O secretário municipal adjunto de Parcerias Estratégicas, Fernando Pimentel, explica que, a partir da contratualização, qualquer proposta de alteração na Cinemateca deverá ser encaminhada antes à gestão municipal. A prefeitura então analisará o que for proposto e dirá se aprova. "O diálogo entre a OSC e a SMC será constante ao longo do contrato, para que seja oferecida à população uma programação de melhor qualidade”, afirma. 

O modelo de contratualização prevê metas de desempenho para a OSC. Ao fim do contrato, a administração da Cinemateca retorna ao Município com as benfeitorias incorporadas. Segundo o secretário municipal de Cultura, Luciano Alabarse, os conceitos trazidos pelas entidades presentes à reunião desta terça-feira foram bem recebidos. "Agora, temos o desafio de colocar tudo no papel”, diz.