Romance de Eduardo e Mônica na tela

Romance de Eduardo e Mônica na tela

Dirigido por Renê Sampaio estreia nesta quinta o filme inspirado na poesia de Renato Russo

Marcos Santuario

A comédia romântica tem os atores Alice Braga e Gabriel Leone vivendo os papéis-título com intensidade

publicidade

As salas de cinema vão ganhar a poesia de Renato Russo feita filme a partir desta quinta-feira. Trata-se da esperada estreia do longa-metragem “Eduardo e Mônica”, do diretor René Sampaio e da produtora Bianca De
Felippes, responsáveis também pela beleza e pelo sucesso de “Faroeste Caboclo”, de 2013.

Inspirada nos populares personagens criados pelo cantor e compositor Renato Russo, a comédia romântica tem Alice Braga e Gabriel Leone vivendo os papéis-título. Filmado em Brasília, no Rio de Janeiro e na Chapada dos Veadeiros durante oito semanas em 2018, teve orçamento total de mais de R$ 10 milhões, e reuniu uma equipe principal com mais de 200 pessoas.

Delicado e divertido “Eduardo e Mônica” é adaptação da famosa canção de Renato Russo, e coloca na telona uma história de amor que acompanhaorelacionamento dos jovens do título que precisam superar as muitas
diferenças para viver um grande amor na Brasília dos anos 1980. Este é o primeiro trabalho que os protagonistas do filme de Sampaio, Gabriel Leone e Alice Braga fazem juntos, e revivem na tela a poesia de Renato Russo, com os dilemas de quem se apaixona e começa um relacionamento. Também estão no elenco Otávio Augusto (como Bira, avô de Eduardo), Juliana Carneiro da Cunha (Lara, mãe de Mônica), Victor Lamoglia (Inácio, amigo de Eduardo), Bruna Spínola (Karina, irmã da Mônica) e Fabrício Boliveira em participação especial na trama. 

Com roteiro assinado por Matheus Souza em parceria com Claudia Souto, Michele Frantz e Jéssica Candal, o filme se passa em 1986, ano de lançamento do disco “Dois”, da Legião Urbana, e o espectador vai encontrar homenagens a emblemáticos eventos daquele período. A trilha sonora original que pode ser apreciada é de Lucas Marcier, Fabiano Krieger e Pedro Guedes.

O diretor brasiliense RenéSampaio tem uma ligação pessoal com a cidade e com o filho e herdeiro do compositor. “Giuliano (Manfredini) é um garoto de quem gosto muito”, revelou. No filme, Giuliano é Cameo (e aparece como ele mesmo, brevemente). Outra aparição relâmpago no filme é do ator Fabrício Boliveira, que já mostrou seu talento ao diretor quando trabalhou com ele na composição do marcante “Faroeste Caboclo”.

Mas o que sobressai mesmo em “Eduardo e Mônica” são as atuações de Alice e de Gabriel, protagonistas máximos do tempo da trama. Eles emocionaram o diretor ao envolver-se de forma intensa na composição dos
personagens. Houve uma sólida composição estudada de Alice Braga para viver a jovem Mônica, e Gabriel Leone traz um Eduardo que se entrega à relação que se constrói, ao mesmo tempo em que a cidade de Brasília se impõe como elemento importante na construção da trama romântica e sempre atual.

René Sampaio, de 46 anos, já disse que “Eduardo e Mônica é um filme feito para os “jovens de todas as idades”. Criativo e disposto a aceitar desafios, Sampaio, que também dirigiu a série “Impuros”, disponível na Amazon Prime, já está delineando a terceira adaptação de outra música de Renato Russo, que segue em segredo, e ainda comanda um documentário sobre a vida do “trovador solitário”.

 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895