Série documental apresenta panorama prisional

Série documental apresenta panorama prisional

Produção brasileira retrata realidades de detentos

Correio do Povo

Seriado ‘Retratos do Cárcere’ estreia na próxima quinta-feira

publicidade

A nova produção dos realizadores do premiado filme “Central - O poder das facções no maior presídio do Brasil” é uma série documental que tem estreia marcada para a próxima quinta-feira, 6 de agosto de 2020. “Retratos do Cárcere” tem 13 episódios, com direção da cineasta gaúcha Tatiana Sager e com codireção e roteiros do jornalista Renato Dornelles. O foco é a realidade das prisões brasileiras. A exibição será sempre às quintas-feiras, às 20h30min, no canal Prime Box Brasil.
Conforme pesquisa da produção, entre 2007 e 2019 a população carcerária brasileira saltou de 422,4 mil para 773,1 mil presos, tornando-se a terceira maior do planeta, atrás apenas dos Estados Unidos (2,1 milhão) e da China (1,6 milhão). O encarceramento e suas consequências são o ponto de partida do seriado, produzido pela Panda Filmes e coproduzido pela Falange Produções. A série venceu o edital Brasil de Todas as Telas - Fundo Setorial do Audiovisual - Prodav 1, promovido pela Ancine e financiado pelo BRDE.
Foram quatro anos de produção, mais de 500 de horas de gravação em 20 prisões visitadas em quatro estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Todo esse universo, diretamente atrelado ao avanço do crime organizado no país, será apresentado nos episódios, que tem 26 minutos cada. Na tela, o público poderá conhecer os detalhes e a rotina das galerias dividas por facções, orientação sexual ou crimes cometidos pelos detentos, além do cotidiano de quem não foi condenado mas cumpre uma espécie de pena, como mães, filhos de presos e religiosos que frequentam o sistema. 
Para contextualizar todos esses temas, também foram ouvidos alguns dos principais especialistas e pesquisadores de segurança pública e crime organizado do país, diretores de prisões e guardas penitenciários. Nessa lista, estão os sociólogos Bruno Paes Manso, Camila Nunes Dias, Celso Rodrigues, Julita Lemgruber, Michel Misse e Rodrigo Ghiringhelli de Azevedo, o delegado Orlando Zaccone, os juízes de direito Luís Carlos Valois e Sidinei Brzuska, o defensor público Patrick Cacicedo, o promotor de justiça Lincoln Gakiya, o procurador de justiça Gilmar Bortolotto e os antropólogos Robson Rodrigues e Alba Zaluar (falecida vítima de câncer no ano passado). 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895