Salas de cinema no Brasil deverão ter acessibilidade em dois anos
capa

Salas de cinema no Brasil deverão ter acessibilidade em dois anos

Locais terão de fornecer equipamentos como tablets, fones ou óculos que ampliem as telas

Por
Agência Brasil

Salas de cinema no Brasil deverão se adaptar à acessibilidade em até dois anos

publicidade

Todas as salas de cinema do país deverão oferecer recursos de acessibilidade para pessoas com deficiência visual e auditiva em todas as sessões de cunho comercial. O prazo para a adaptação total é de dois anos, mas, em 14 meses, metade das salas de cada grupo exibidor vai ter de oferecer o recurso de legendagem, legendagem descritiva, audiodescrição e Língua Brasileira de Sinais (Libras) para quem solicitar.

As regras estão definidas na Instrução Normativa 128/2016, da Agência Nacional do Cinema (Ancine), e serão publicadas amanhã. Ao apresentar as normas nesta quinta-feira, o diretor-presidente da Ancine, Manoel Rangel, disse que as regras e o cronograma para implantação foram amplamente debatidos com as entidades de pessoas com deficiência, distribuidores e exibidores de filmes no país e que houve uma “enorme compreensão com o avanço civilizatório que isso representa”.

O Brasil soma hoje cerca de 30 milhões de pessoas com algum tipo de deficiência visual, sendo 5 milhões de cegos totais. Com a norma, as salas de cinema terão de fornecer equipamentos como tablets, fones ou óculos que ampliem as telas, além de oferecer recursos de acessibilidade.

A tecnologia a ser implantada no Brasil ainda não foi definida, mas a Ancine montou uma câmara técnica para definir os padrões. O número mínimo de equipamentos individuais a ser disponibilizado varia conforme a quantidade de salas do complexo, indo de três equipamentos para uma sala, a 15 equipamentos a partir de 13 salas.