Sebastião Salgado é nome central do Festival de Fotografia de La Gacilly, na França

Sebastião Salgado é nome central do Festival de Fotografia de La Gacilly, na França

Edição 2020 do evento rende homenagem à América Latina

AFP

Evento ocorre em meio à reabertura da França após crise de Covid-19

publicidade

Apesar da crise de saúde, o Festival de Fotografia de La Gacilly, oeste da França, inaugurou neste fim de semana sua 17ª edição, dedicada à América Latina, uma edição dominada pelo icônico Sebastião Salgado. O brasileiro, presente neste fim de semana em La Gacilly, se sente feliz de expor cerca de quarenta fotos de sua série "Gold", realizada em 1986 sobre os garimpeiros de Serra Pelada, com os quais passou 35 dias e 35 noites nesta mina a céu aberto. "Nunca vi essas fotos ampliadas nesta proporção, é muito surpreendente [...] Tenho a impressão que estou na mina de novo e que vão entrar na terra como faziam lá", confessou à AFP.

A também brasileira Carolina Arantes ilustra a "febre do ouro verde" na Amazônia, no coração do estado do Pará, na cidade de Altamira, "uma espécie de novo Far West" e "uma das cidades mais afetadas por estes incêndios" voluntários que destruíram essas terras preciosas. Durante essa reportagem "senti o cheiro de madeira queimada, às vezes caminhava entre as cinzas que chegavam até os tornozelos", conta a fotógrafa.

Três fotógrafos da AFP, que se associou com La Gacilly, apresentam também uma seleção de seu trabalho sobre a América Latina: Martin Benetti para o Chile e os efeitos da indústria sobre a natureza, Pedro Pardo para México e a famosa fronteira com os Estados Unidos, Carl de Souza para um trabalho no Brasil sobre a revolta dos indígenas da Amazônia.

 

publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895