Sucesso global, "Parasita" leva a Coreia do Sul ao Oscar pela primeira vez
capa

Sucesso global, "Parasita" leva a Coreia do Sul ao Oscar pela primeira vez

Longa é a sexta obra de língua não-inglesa a conquistar indicação dupla de melhor filme internacional e melhor filme

Por
AFP e Correio do Povo

Longa é o favorito a vencer na categoria internacional

publicidade

As indicações ao Oscar foram divulgadas nesta segunda-feira, com "Coringa" recebendo 11, o maior número para esta edição, à frente dos favoritos "Era uma Vez... em Hollywood", "1917" e "O Irlandês". Outro destaque é "Parasita", sucesso de crítica de Bong Joon-ho, que se tornou o primeiro filme sul-coreano a concorrer tanto a melhor filme internacional quanto a melhor filme. É a sexto obra de língua não-inglesa a conquistar esta indicação dupla, depois de "Roma", no ano passado. Nenhum dos cinco anteriores, contudo, conseguiu levar o princial troféu da noite para casa. 

Desde que ganhou o prêmio principal no Festival de Cinema de Cannes deste ano por escolha unânime do júri, o longa, uma crítica uma à desigualdade social em seu país, emergiu como um sério candidato a um troféu do Oscar na temporada de premiações dos EUA. Ele colecionou vários prêmios das associações de críticos de cinema e trouxe para casa o melhor filme em língua estrangeira no Globo de Ouro, onde o diretor sugeriu que o público deveria "superar as barreiras das legendas" para conhecer novas obras. O filme arrecadou mais de 24 milhões de dóláres nos Estados Unidos, tornando-se o filme legendado mais popular do ano passado.

As diretoras foram excluídas da lista de indicados, mas duas atrizes têm bons motivos para comemorar nesta segunda. Scarlett Johansson nunca tinha sido indicada, mas conseguiu duas indicações de uma vez. Ela vai concorrer a melhor atriz, por seu papel no drama "Histórias de um casamento", e melhor atriz coadjuvante, por interpretar uma jovem mãe que esconde uma menina judia em seu sótão durante a Segunda Guerra Mundial, em "Jojo Rabbit". Enquanto isso, Saoirse Ronan conseguiu sua impressionante quarta indicação ao Oscar aos 25 anos. Ela é a segunda mulher mais nova a realizar o feito, atrás de Jennifer Lawrence.

Netflix chegou lá

A temporada de premiações tem sido irregular para a Netflix. Líder de indicações ao Globo de Ouro com uma enorme margem, a gigante do streaming levou apenas dois prêmios - um para Laura Dern, atriz coadjuvante em "Histórias de um casamento", e outro para Olivia Colman, protagonista da série de TV "The Crown". Apesar disso, a empresa que gastou milhões de dólares para atrair os maiores talentos da indústria cinematográfica e financiar generosas campanhas de de premiação – recebeu impressionantes 24 indicações ao Oscar nesta segunda.

"Star Wars: a ascensão Skywalker" não foi bem recebido pela crítica, mas uma nova indicação pela trilha do lendário compositor John William era uma aposta certa. Ele recebeu sua 52ª indicação ao Oscar, se aproximando do recorde individual de Walt Disney, com 59. O filme, que conclui a "Saga Skywalker", levou outras duas indicações, de edição de som e efeitos visuais.

Duas grandes estrelas que esperavam ser indicadas por suas atuações passaram batidas pela Academia nesta segunda. Jennifer Lopez nunca foi indicada a um Oscar, mas sua performance como uma stripper astuta em "As golpistas" gerou um "buzz" significativo. De Niro, que venceu pela última vez em 1980 por "Touro indomável" e não conseguiu levar o prêmio em três indicações desde então, não conseguiu convencer a Academia com seu papel em "O Irlandês". Ele teve que se contentar com a indicação a coprodutor na categoria de melhor filme. E Adam Sandler, muito elogioado por sua atuação em "Uncut Gems", tinha esperanças de finalmente ser indicado para o grande prêmio, e ficou de fora.