Tesouros e mais, na CCMQ

Tesouros e mais, na CCMQ

Duas mostras de arte podem ser apreciadas pelo público na Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), mostrando a temática dos tempos pandêmicos, com a utilização de novas técnicas, cores tropicais e feras surreais

Carolina Santos*

Utilizando materiais diferentes as artistas, Denise e Rosali revelam os prédios, muros, janelas e grades, elementos presentes na vida urbana e explicitados na quarentena.

publicidade

Estão abertas à visitação, até o dia 28 de novembro, das 10h às 18h, na Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736), as exposições “Tesouro das Feras”, na Galeria Xico Stockinger (6º andar), e “O Outro no Eu”, na Fotogaleria Virgílio Calegari (7º andar). Organizadas respectivamente pelo Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (Macrs) e pelo Instituto Estadual de Artes Visuais (Ieavi), ambas instituições da Secretaria de Estado da Cultura (Sedac). 

Em “O Outro no Eu”, as artistas Denise Iserhard Haesbaert e Rosali Plentz, construíram juntas, por meio de vídeo chamadas e troca de telas, mais de 70 obras. Destas, 29 estão disponíveis para apreciação do público. Com a curadoria de Niura A. Legramante Ribeiro a mostra remete aos tempos de isolamento social, “Com a pandemia nós ficamos muito reclusas, mais afastadas das pessoas”, explica Denise. A partir das conversas virtuais as duas amigas tiveram a ideia, “A gente começou a pensar: quem sabe começamos a trabalhar como uma forma de nos comunicarmos e diminuir essa distância.”, lembra Iserhard.

Com essa inquietação e com a vontade de estar perto, mesmo longe, as artistas resolveram fazer um “trabalho a quatro mãos”, em que uma poderia interferir nas obras que recebia da outra. “Foi desafiador, é muito uma coisa de desapego, para respeitar a opinião do outro, mas ao mesmo tempo com total liberdade de interferir no trabalho que vinha”, comentam as artistas. Os elementos antagônicos e as diferentes técnicas utilizadas, resultaram nas peças que remetem aos prédios, muros, janelas e grades que foram a paisagem de muitos durante o isolamento. 

Bruno Novelli é o artista por trás da exposição “Tesouro das Feras”. Com a curadoria de Chico Soll, o repertório de fera, bichos e figuras animalescas habitam as pinturas presentes na galeria Xico Stockinger. Segundo o artista, a inspiração “vem de uma combinação de interesses distintos que vão desde o imaginário alquímico, mitos amazônicos, manuscritos medievais, pinturas góticas italianas, até mesmo relevos sumérios”. 
O pintor comenta como “a brutalidade que certas imagens me causam, me motivam a pintar”. A síntese de sua produção dos últimos cinco anos é explicitada em uma explosão de cores tropicais, com a presença de imagens surreais e feras, muitas vezes em posição de ataque, ricas em padronagem e cromatismo. Os 23 quadros disponíveis na exposição, se misturam em uma selva de Novelli.

* Sob supervisão do editor Marcos Santuario 

 


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 1 de maio de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895