Usher usa reconhecimento facial para lançar música sobre racismo

Usher usa reconhecimento facial para lançar música sobre racismo

No Tidal, espectador é advertido se desviar o olhar do clipe de "Chains"

Por
AE

Cantor se algemou durante apresentação da música no festival Tidal X: 10/20


publicidade

O rapper americano Usher usou tecnologia de reconhecimento facial para divulgar a sua nova música, "Chains", em um projeto desenvolvido pelo escritório de São Paulo da agência AKQA. A canção foi lançada exclusivamente no Tidal, serviço de streaming criado por Jay-Z neste ano.

Enquanto a música toca, o site exibe fotos e textos sobre casos reais de crimes raciais nos Estados Unidos. Se o telespectador desviar o olhar, o som para de tocar e a tela mostra a seguinte mensagem: "Don't look away" (não desvie o olhar). Para conseguir tal efeito, foi utilizada uma solução que integra o Tidal com a câmera do computador ou do celular do usuário. Para conferir, basta acessar o site e seguir as instruções.

Durante quatro dias, a canção foi exibida exclusivamente na plataforma. Fora dela, foi apresentada ao público na última terça-feira à noite, durante o festival Tidal X: 10/20, em Nova Iorque, quando o cantor fez uma performance algemado.

Criada há pouco mais de um ano, a agência AKQA Brasil funciona como um centro global de criação do grupo. "Recebemos da agência de Londres um e-mail com a letra da música e o desafio de pensar em soluções criativas para seu lançamento", contam Hugo Veiga e Diego Machado, diretores criativos da empresa.

Como "Chains" é um protesto contra o preconceito racial, os publicitários pensaram em fazer uma peça que relacionasse a letra a casos reais. "A música do Usher é algo maior. É uma bandeira contra o racismo. O primeiro passo é fazer as pessoas pararem para pensar sobre isso", disseram. A solução criada por eles obriga, então, o público a olhar para a foto de vítimas de crimes raciais para poder ouvir a música.

Antes de lançar o projeto, no entanto, a agência criou um protótipo, que precisou ser aperfeiçoado para ficar mais "leve". O desafio era usar um recurso tecnológico que não dependesse de uma conexão de altíssima qualidade para ser acessado.

Assista ao clipe de "Chains":