Virginie Viard, braço direito de Karl Lagerfeld, assume direção criativa da Chanel
capa

Virginie Viard, braço direito de Karl Lagerfeld, assume direção criativa da Chanel

Maison francesa anunciou decisão horas após a morte do ícone da moda

Por
Correio do Povo

Virginie representou Lagerfeld no encerramento do último desfile da casa porque eles estava "cansado"

publicidade

Virginie Viard, diretora do estúdio de design de moda da Chanel e braço direito de Karl Lagerfeld, morto nesta terça-feira, assumirá a direção criativa da grife, informou a maison em um comunicado. A decisão partiu do próprio CEO da marca, uma das poucas que ainda pertencem a uma empresa familiar – no caso, os franceses Wertheimer. "Virginie Viard, diretora do Fashion Creation Studio de CHANEL e colaboradora mais próxima de Karl Lagerfeld por mais de 30 anos, foi encarregada por Alain Wertheimer do trabalho criativo para as coleções, para que o legado de Gabrielle Chanel e Karl Lagerfeld possa continuar vivo", afirmou a grife francesa em um comunicado divulgado em suas redes socias.

• Lagerfeld era um estilista em constante evolução, diz historiadora

A história de Virginie na grife começou em 1987, quatro anos depois da entrada de Lagerfeld, quando um camareiro do príncipe Rainier de Mônaco, amigo de sua família, a recomendou para um estágio na área de bordados de alta-costura. Junto ao Imperador da moda, como o amigo era conhecido, ela supervisiona e ajuda a criar oito coleções por ano. “Ela é minha diretora, minha mão direita e minha mão esquerda”, disse em uma entrevista à revista Elle americana em novembro do ano passado.

“Nosso relacionamento é essencial, duplicado por uma amizade e carinho muito real. Eu tento antecipar o que ele gostaria. Ele é muito sensível, como todas as pessoas criativas, mas muito fiel, generoso - o que pode não ser o que as pessoas imaginam", contou na mesma ocasião. Embora em sua maneira pessoal de se vestir Lagerfeld fosse facilmente reconhecido, suas criações eram caracterizadas por seu ecletismo e sua capacidade de se reinventar o tempo todo, capturando o espírito da época. Além disso, era conhecido pelas frases mordazes e por não ter papas na língua.

Chanel lamenta morte do Imperador

No mesmo comunicado em que anuncia o novo posto de Virginie, a maison lamenta a morte do estilista. "É com profunda tristeza que a Casa Chanel anuncia o falecimento de Karl Lagerfeld, Diretor Criativo desde 1983. Um indivíduo criativo extraordinário, Karl Lagerfeld reinventou os códigos da marca criados por Gabrielle Chanel: a jaqueta e o terno Chanel, o pequeno vestido preto, os preciosos tweeds, os sapatos de dois tons, as bolsas acolchoadas, as pérolas e bijuterias. Em relação a Gabrielle Chanel, ele disse: 'Meu trabalho não é fazer o que ela fez, mas o que ela teria feito. A coisa boa sobre a Chanel é que é uma ideia que você pode se adaptar a muitas coisas'", lê-se na nota.

O texto ainda diz que Lagerfeld foi uma mente criativa com imaginação infinita, que "explorou muitos horizontes artísticos, incluindo fotografia e curtas-metragens". "A Chanes se beneficiou de seu talento para todas as campanhas de branding relacionadas à Moda desde 1987. Finalmente, não se pode referir a Karl Lagerfeld sem mencionar seu senso inato de réplica e auto-zombaria".

Citado no comunicado, Wertheimer, disse: “Graças a seu gênio criativo, generosidade e excepcional intuição, Karl Lagerfeld estava à frente de seu tempo, o que contribuiu amplamente para o sucesso da Casa Chanel em todo o mundo. Hoje, não apenas perdi um amigo, mas todos perdemos uma mente criativa extraordinária a quem dei carta branca no início dos anos 80 para reinventar a marca”, lamentou.

Já o presidente de moda da grife, Bruno Pavlovsky, afirmou que “desfile após desfile, coleção após coleção, Karl Lagerfeld deixou sua marca na lenda de Gabrielle Chanel e na história da Casa de Chanel". "Ele promoveu firmemente o talento e a experiência dos ateliers da CHANEL e da Métiers d'Art, permitindo que esse know-how excepcional brilhasse em todo o mundo. A maior homenagem que podemos pagar hoje é continuar seguindo o caminho que ele traçou - para citar Karl - 'continuar a abraçar o presente e inventar o futuro'", completou.