Weinstein tenta melhorar sua imagem e provoca ira de supostas vítimas

Weinstein tenta melhorar sua imagem e provoca ira de supostas vítimas

Ex-magnata diz considerar que mundo esqueceu o que ele fez pelas mulheres em Hollywood

Por
AFP

Weinstein fez procedimento cirúrgico na última semana


publicidade

A três semanas do seu julgamento por agressão sexual, o ex-produtor cinematográfico Harvey Weinstein provocou a ira de suas supostas vítimas ao afirmar, em uma incomum entrevista, que o mundo esqueceu o que ele fez pelas mulheres em Hollywood, nos Estados Unidos.

Em conversa no final de semana ao New York Post, no quarto do hospital onde foi operado de um problema nas costas, Weinstein afirmou ser um dos pioneiros na promoção da mulher na indústria do cinema americano, a mesma de onde surgiram dezenas de denúncias contra ele por assédio e agressão sexual.

"Fiz mais filmes dirigidos por mulheres e sobre mulheres que nenhum outro realizador cinematográfico, e isto há 30 anos. Não estou falando de agora, que é moda. Fiz isto primeiro! Fui o pioneiro". "Me sinto como um homem esquecido", disse o fundador da Miramax, que se tornou o estúdio independente mais poderoso do mundo na década de 90, com filmes como "Shakespeare apaixonado", "Pulp Fiction, Tempo de Violência" e "Gênio Indomável".

Texto conjunto

"Diz que não quer ser esquecido. Bom, não vamos esquecê-lo", reagiram 23 mulheres que afirmam ter sido assediadas ou agredidas sexualmente pelo ex-magnata do cinema, em um texto conjunto publicado pelo movimento pela igualdade de gênero Time's Up.


"As pessoas vão lembrá-lo como um predador sexual e um agressor que levou tudo e não merece nada", escreveram as atrizes Rosanna Arquette, Ashley Judd e Rose McGowan, entre outras, que se tornaram símbolos da luta contra Weinstein. "Será recordado pela vontade coletiva de inúmeras mulheres que se puseram de pé e disseram 'basta'". Weinstein foi operado na quinta-feira passada, por um problema surgido após um acidente de automóvel em agosto.