Da caserna ao mercado de trabalho

Da caserna ao mercado de trabalho

Por General de Exército Valério Stumpf Trindade*

General de Exército Valério Stumpf Trindade

publicidade

Todos os anos, 1,5 milhão de jovens alistam-se para o serviço militar e, desses, cerca de 65 mil serão incorporados ao Exército. No RS, são aproximadamente 11,5 mil a cada ano. O serviço militar é verdadeira escola de cidadania e de patriotismo onde, sob os princípios da hierarquia e disciplina, cultuamos a ética e os valores tão necessários ao nosso país. O Exército qualifica seus militares em diversas especialidades votadas à Defesa Nacional e oferece, ainda, em parceria com o “Sistema S”, uma qualificação profissional estendida por intermédio do Projeto Soldado-Cidadão. Tudo com o objetivo de devolver à sociedade, após o serviço militar, um jovem mais qualificado e mais maduro, um melhor cidadão.

Foi nesse sentido que o Comando Militar do Sul (CMS) iniciou em 2020 um projeto para facilitar a comprovação da experiência adquirida no Exército na busca de emprego. Surgiu assim o Programa Militar de Qualificação Profissional, em parceria com a Secretaria Regional do Trabalho/RS e a Justiça do Trabalho, com o objetivo de vincular a qualificação militar à Classificação Brasileira de Ocupações (CBO). Assim, ao término do Serviço Militar, o jovem passa a receber, além do Certificado de Reservista, uma comprovação legal da sua qualificação profissional associada à CBO, tudo sem aporte extra de recursos.

O projeto piloto, que começou com quatro qualificações e deve ser ampliado para 32, foi um sucesso: 50% dos reservistas diplomados obtiveram vaga no mercado de trabalho. Em fevereiro passado, o Ministério do Trabalho e Previdência e o Exército Brasileiro assinaram um Acordo de Cooperação Técnica para a validação de cursos ofertados pelo Exército, reconhecendo a experiência profissional adquirida pelos militares abrangidos pelo Programa Militar de Qualificação Profissional de Cabos e Soldados, ampliando assim o projeto do CMS para todo o Brasil. E não paramos por aí. O CMS trabalha para inserir os reservistas no mercado de trabalho formal. Diversas parcerias estão sendo firmadas com órgãos estaduais, federações de indústria e setor de serviços.

É o reconhecimento do trabalho desenvolvido há muitos anos nas organizações militares, o qual terá impacto direto na empregabilidade de nossos reservistas. Uma ótima notícia, fruto de uma iniciativa do CMS. É o Exército Brasileiro cumprindo a sua missão de contribuir para o desenvolvimento nacional e o bem-estar social. Todos ganham: os jovens ganham e o Brasil mais ainda.

Comandante Militar do Sul*


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895