Mercado Público Walter Galvani

Mercado Público Walter Galvani

Por Paulo Palombo Pruss*

Correio do Povo

publicidade

O escritor Walter Galvani, falecido recentemente, nos deixou uma produção literária profícua e extremamente vitoriosa, que de certa maneira facilita a tarefa de escrever sobre este personagem histórico da cidade de Porto Alegre. Ex-diretor de redação do jornal Folha da Tarde, patrono da Feira do Livro de Porto Alegre e membro da Academia Rio-Grandense de Letras, autor de 13 livros entre eles “Nau Capitânia – Pedro Álvares Cabral, como e com que começamos”. Esta obra, por exemplo, ganhou quatro prêmios, entre eles o reconhecimento internacional do Prêmio Casa de Las Américas, de Cuba, em 2001.

Porém, o que mais o orgulhava era sua luta pela preservação do prédio do Mercado Público de Porto Alegre, um dos ícones da cidade. Numa época em que prédios antigos do centro da Capital eram vistos como empecilho para o desenvolvimento da cidade, sobretudo na década de 1970, a ameaça ao Mercado assumiu um caráter mais contundente. Com a previsão de construção de uma avenida onde está localizado este belo prédio, o prefeito da época anunciou que “derrubaria aquela velharia” e a destruição era iminente. Editor dos dois mais representativos jornais do Estado, Folha da Tarde e Correio do Povo, Walter Galvani empreendeu uma verdadeira batalha contra a demolição, de início sozinho, começando com pequenas matérias no caderno especial de domingo do velho Correião. A seguir foi incorporando amigos e colegas, logo tendo apoios relevantes como P.F. Gastal, Mario Quintana, Jayme Copstein, Liberato Vieira da Cunha, Antônio Carlos Ribeiro, Alberto André e tantos outros. Sua luta foi comovendo desde as camadas populares até mesmo políticos de oposição e intelectuais.

Depois de muita pressão, em 1972, finalmente o prefeito comunicou pessoalmente a Galvani que não iria mais derrubar o Mercado. Sua esposa Carla Irigaray apoia totalmente esta iniciativa e reafirma o orgulho que ele sentia pela preservação do Mercado. Acrescenta ainda que sua produção era tão intensa que até no hospital escrevia uma crônica por dia. A verdade é que Walter Galvani é o responsável direto pela preservação de um dos maiores referenciais da cidade, o Mercado Público. Então nada mais justo que o Mercado Público de Porto Alegre receba seu nome como merecida homenagem.

*Escritor


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895