Nossa humanidade em jogo

Nossa humanidade em jogo

Por Crismeri Delfino Corrêa*

Correio do Povo

publicidade

Continuamos enfrentando uma época pandêmica, entre um balançar de incertezas e oportunidades. O cenário em que vivemos é de constante transformação digital, influenciando e modificando diariamente a nossa maneira de pensar, decidir, viver, estudar, trabalhar, produzir, interagir e até de amar. Entretanto, a espécie humana permanece com o mais alto nível de complexidade neste novo mundo.

A transformação digital não trata apenas de tecnologia e sim de um pensar digital. Então, a transformação digital pode ser encarada como mudança cultural. A inteligência artificial pode ocupar alguns postos de trabalho, mas jamais substituirá o que é essencialmente humano.

Diante deste cenário, nos perguntamos: o que caracteriza o humano?

A compreensão passa pelas diferentes áreas como a antropologia, filosofia, psicologia, sociologia, biologia e teologia. Mas ainda não teremos a definição completa, já que o ser humano está em constante mutação.

Desta forma, podemos trazer pontos de reflexão, partindo da premissa de que ser humano é buscar o autoconhecimento, é olhar verdadeiramente para seu comportamento, é não viver mais nos esconderijos das fortalezas, é dar atenção às diferenças e assim, fazer conexão com o olhar do outro. É mobilizar ações e acreditar que juntos, sem distinção, podemos viver em um mundo com uma cultura do simplesmente humano.

*Presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos - Seccional Rio Grande do Sul (ABRH-RS)


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895