Porto Alegre desde sua origem

Porto Alegre desde sua origem

Por Gustavo Bohrer Paim*

Gustavo Bohrer Paim

publicidade

Como porto-alegrense de nascimento e apaixonado pela história e cultura da nossa Capital, um dos meus sonhos era conhecer o arquipélago dos Açores. São nove ilhas em que vivem pouco menos de 250 mil habitantes. Quase 60% dos açorianos residem na Ilha de São Miguel, a maioria na cidade de Ponta Delgada — uma das quatro finalistas para ser a capital europeia da cultura de 2027.

Com o Tratado de Madri, de 1750, os Sete Povos das Missões passaram a pertencer a Portugal e a estratégia da coroa portuguesa era povoar a região. Assim, a partir de 1751, chegaram os primeiros açorianos ao Rio Grande do Sul. Dentre eles, estavam os 60 casais que, há 270 anos, desembarcaram e se instalaram na região em que, 20 anos mais tarde, em 26 de março de 1772, fundaram a Freguesia de São Francisco de Porto dos Casais.

No Estado, os açorianos não tiveram vida fácil, tendo ocorrido o massacre guaranítico, a revogação do Tratado de Madri, a volta do Tratado de Tordesilhas e a disputa dos espanhóis pela região. Diferentemente de sua origem, como ilhéus que viviam unidos junto ao mar, no Rio Grande do Sul acabaram por se dispersar.

Para muito além da Ponte de Pedra e do Monumento dos Açorianos, sua história e cultura é visível em nossa cidade, como se percebe nas procissões e festas religiosas, no folclore e nas danças gauchescas, nas brincadeiras de crianças, na literatura popular. Os moinhos socavam o trigo na região que hoje é o Moinhos de Vento, preparado com as azenhas onde havia um rio nas redondezas da Ipiranga. Não apenas os bairros, mas também muitas construções têm traços e origem açoriana. Como vice-prefeito, busquei valorizar esse patrimônio, enquanto conectava essa história com o futuro e os anseios da nossa população.

Escrevo este artigo daqui, da Cidade de Ponta Delgada, na Ilha de São Miguel, porque comemorar os 250 anos da nossa Capital também é viver a história e a cultura que lhe deram origem. Parabéns, Porto Alegre, pelos seus 250 anos! Obrigado, Açores, pelos 60 casais que chegaram à nossa amada cidade há 270 anos.

Ex-vice-prefeito de Porto Alegre, pós-doutorando em Direito pela Universidade de Lisboa, doutor em Direito pela Ufrgs e professor de Direito da Unisinos*


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895