capa

Adoção Responsável

Por

publicidade

 



Adotar é um ato de amor com aqueles peludinhos que estão à espera de uma pessoa ou família que esteja disposta a compartilhar seus sentimentos. Milhares de bichinhos estão em abrigos, centros ou casas de passagem esperando que alguém apareça e os escolha. Assim como um coração cheio de amor nos fala para adotar, nossa mente precisa prestar atenção em alguns fatores e levá-los em consideração. Não é raro adotantes devolverem um bichinho por se arrependerem depois. O novo amigo terá uma vida de aproximadamente 14 anos. Para se ter ideia de quanto tempo significa, tentem lembrar o que estavam fazendo há quatorze anos ou onde pretendem estar no mesmo tempo futuro.


Cuidados


Seu novo amigo deverá ter uma boa alimentação com rações que realmente supram suas necessidades e não apenas que matem a fome. Rações de qualidade são fundamentais! A família inteira deverá estar de acordo com a chegada do novo membro, já que a responsabilidade deve ser dividida entre todos. Fatores como espaço disponível, pelagem, energia e porte no amiguinho podem tomar mais tempo que o previsto. Então, procure adotar um peludinho com tamanho e temperamento compatível com o local e pessoas que irá interagir. Passeios regulares são muito importantes para sociabilização e para evitar estresse.


Se o animal tiver pelagem longa, a escovação frequente é necessária para evitar nós. E não se iludam com pelagem curta, pois também caem. No período de férias há possibilidade de o novo companheiro ir junto às viagens? Há condições de ficar em hotelzinho, contratar pet sitter ou deixa-lo hospedado com parentes? Outro fator importante que se deve levar em consideração: haverá algum problema caso a família aumente? Não podemos deixar nosso amiguinho de lado com a chegada de filhos.


Quando houver necessidade de banho, quem dará? Será em casa? Será levado para um pet? Um cão que passeia regularmente ou que fica solto no pátio deve ser protegido contra pulgas e carrapatos, com produtos de qualidade e com a frequência recomendada pelo fabricante/veterinário. Para cada cinco pulgas encontradas no animal, 95 estão no ambiente. As pulgas podem ser hospedeiras de um verme muito comum e, quando cães se coçam e mordem, podem engolir a pulga e se contaminarem. Além disso, carrapatos podem transmitir doenças graves para os cães e que podem até matá-los, como a erliquiose e a babesiose.


Ah, e não podemos esquecer dos vermífugos! Quanto às vacinas anuais, procure um médico veterinário para a aplicação. Somente ele saberá se seu amiguinho está em condições de recebê-las. Minha intenção aqui não é, de forma alguma, desestimular a adoção, mas sim promover a conscientização para que haja uma adoção responsável, para sempre e sem arrependimentos!



O que estará levando para casa não é uma mercadoria, é uma vida. Uma vida que também sente dor, fome, frio e medo. O amor que ele proporcionará para todos é algo indescritível. É um amor sem cobrança, sincero e eterno. Por isso, é justo dar ao amigo peludo o mesmo. Caso tenha problemas com a educação ou com o comportamento de seu companheiro, procure profissionais qualificados! Não desista facilmente, pois comportamentos inesperados têm solução.


Por Cristiano Bier, adestrador e franqueado da Cão Cidadão / Fotos Divulgação