capa

COPROFAGIA: COMO LIDAR?

Por

publicidade

Coprofagia vem do grego Kopros (esterco) e Fagos (aquele que come). Suas causas não são definidas, podendo ser desencadeada por uma série de fatores em conjunto ou apenas um determinado.


Antes de dedicar tempo aos problemas comportamentais, devemos descartar qualquer suspeita relacionada à saúde. É muito importante que o seu médico veterinário tenha conhecimento do que está acontecendo, pois problemas diversos podem causar a coprofagia. Somente após esse profissional confirmar que é uma questão comportamental é que podemos seguir em frente.


Se alimentarmos o nosso cão uma vez por dia, mesmo com a quantidade necessária recomendada, pode ocorrer que, mais tarde, ele sinta fome e não tendo opção de alimento, comece a ingerir fezes. O ideal é dividir o alimento em mais refeições, porque assim ele não ficará por longos períodos sem ingerir nada. Outro problema é se o cão receber alimento em excesso. O trato intestinal pode não conseguir absorver tudo o que é necessário, o que pode deixar as fezes apetitosas.


Até aqui muitas pessoas podem estar falando que o seu cão é saudável, que recebe alimento três vezes por dia e na quantidade certa. Mas a proteína utilizada na ração é de qualidade? Devemos nos informar sobre a composição do alimento e a digestibilidade. Rações de boa qualidade possuem absorção de, no mínimo, 80%! Isso significa que para cada 100 gramas de alimento ingerido, teremos que juntar no máximo 20 gramas de fezes.


Por vezes, o cão é muito repreendido por fazer as suas necessidades fora do lugar e, para não levar bronca, acaba ingerindo rapidinho. Nunca devemos chamar a atenção por erros. O correto seria tirar o foco, levar para outro local e só depois efetuar a limpeza para não haver competição de quem pega mais rápido! Uma forma também é distrair o cão e borrifar spray amargo (é encontrado em muitos pet shops) sobre as fezes, pois, dessa forma, ele não gostará nem um pouco do sabor.


Tomar cuidado para não deixar o banheirinho muito próximo do local onde ele se alimenta ou dorme é importante para evitar que ele queira manter o seu lugarzinho limpo. Ansiedade e tédio também podem ser causas da coprofagia, mas estes problemas precisam ser analisados caso a caso.


Como podemos ver, algo que parece tão simples pode ter várias causas diferentes! Siga as orientações do médico veterinário e, se precisar, procure ajuda de um profissional em adestramento para colocar em prática todas as dicas!


Por Cristiano Bier, adestrador e franqueado da Cão Cidadão - Foto Divulgação