Fibras nas dietas para cães e gatos

Fibras nas dietas para cães e gatos

publicidade

O Brasil possui a segunda maior população de animais de estimação do mundo com aproximadamente 37 milhões de cães e 21 milhões de gatos, segundo dados da Abinpet (Associação Brasileira de Produtos para Animais de Estimação). É importante que estes animais tenham uma alimentação de qualidade, que forneça os nutrientes necessários para a saúde e bem estar. As fibras desempenham um importante papel na alimentação e trazem vários benefícios a saúde dos pets. É cada vez maior o número de pessoas que incluem na dieta alimentos integrais, ricos em fibras, por conhecerem os benefícios do uso das fibras no trato gastrointestinal. Diante destas informações, os proprietários de cães e gatos estão cada vez mais interessados pelo uso de fibras na alimentação de seus pets. A fibra é a porção do carboidrato que não é quebrada pelas enzimas secretadas pelo trato digestivo dos animais.
As principais fontes de fibras presentes nas dietas comerciais (rações) para cães e gatos são: arroz integral; aveia; polpa de beterraba; psyllium; fibra de cana e de ervilha; inulina; casca de soja; farelo de trigo, entre muitas outras. Cada uma dessas fibras possui diferentes características de solubilidade e fermentabilidade, propiciando benefícios à saúde dos cães e dos gatos.
As fibras de maior solubilidade colaboram na formação do bolo fecal e na manutenção de todo o trânsito das fezes no trato gastrointestinal, reduzindo a possibilidade de retenção fecal.Além de seus benefícios sobre o trânsito gastrointestinal, as fibras também colaboram com a saúde do intestino. Os prebióticos, como a inulina, presentes nos alimentos para pets, são fibras específicas com a função de modular a composição das bactérias no intestino, estimulando seletivamente o crescimento das bactérias benéficas e inibindo a multiplicação das maléficas. Estas bactérias benéficas produzem os ácidos graxos de cadeia curta, que são as principais fontes de nutrição para as células epiteliais do intestino grosso dos animais. As fibras das rações devem dispor de quantidades adequadas. Se for usada em excesso - dependendo do tipo de fibra - pode levar a formação de fezes de maior volume e amolecidas, além aumentar a produção de gases. Pets que sofrem de obesidade ou de diabetes, a fibra é uma boa opção. Em animais obesos, para que o animal consiga atingir um peso ideal, é necessário proporcionar maiores quantidades de fibras insolúveis, que têm baixas calorias, promovendo maior saciedade gástrica e redução da fome. Em cães com diabetes, elas colaboram no controle da glicose sanguínea, sendo coadjuvante no tratamento desta doença.
Para pets obesos ou com diabetes, há alimentos específicos (rações) que atendam às necessidades destas patologias. Se seu pet sofre de alguma destas enfermidades, o ideal é procurar um veterinário. Ele prescreverá a quantidade correta de alimento que o animal deve ingerir por dia. É necessário que siga rigorosamente a quantidade indicada, para que o resultado seja alcançado. Uma ração de qualidade contém a quantidade e o tipo de fibras adequados para cada espécie, etapa da vida e nível de atividade física de um animal de estimação como é o caso da linha Guabi Natural.

 

Fonte: Letícia Tortola, médica veterinária e especialista em nutrição de cães e gatos do Grupo Guabi


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895