Apocalypse e Ripping My Soul
capa

Apocalypse e Ripping My Soul

Grupos lançam trabalhos

Por
Chico Izidro

Apocalypse comemora 35 anos com o lançamento do álbum “The 35th Anniversary Concert”

publicidade

Apocalypse

Banda comemora 35 anos com o lançamento do álbum “The 35th Anniversary Concert”

Formada em 1983, em Caxias do Sul, a banda Apocalypse está celebrando seus 35 anos de estrada com o lançamento do álbum ao vivo “The 35th Anniversary Concert”. O show foi realizado em julho de 2015 em Porto Alegre.

O álbum inclui faixas clássicas como “Refuge”, “Ocean Soul” e “Follow the Bridge”. Nesse incrível show a banda mostra novos arranjos para as músicas “Not Like You”, “Last Paradise” e “Till Another Side”. O álbum contém uma versão instrumental para a música “2012 Light Years From Home” e duas faixas inéditas intituladas “Hard Long Road” e “It´s All Gone”.

Além dos integrantes dos originais Eloy Fritsch (teclados) e Ruy Fritsch (guitarra), a Apocalypse tem ainda em sua formação o vocalista Gustavo Demarchi, presente na banda desde 2004 e os músicos Rainer Steiner na bateria e Daniel Motta no baixo.

"considero positivo que o Apocalypse tenha renovado a formação através dos anos,  talvez seja por isso que a banda continue tocando ao vivo depois de 35 anos", afirmou o fundador Eloy, também professor de música na Ufrgs.

Ouça uma prévia do álbum:
https://www.youtube.com/watch?v=mf4VCzqJqac
Ouça o álbum no Spotify:
https://open.spotify.com/album/5UshSreDiVE7ODk4piuoXm

 

Ripping My Soul

A banda gaúcha formada em 2017 apresenta EP de estreia

A banda gaúcha Ripping My Soul foi formada em 2017 em Porto Alegre, buscando mostrar originalidade em suas músicas, criatividade e representação teatral em seus shows. Logo em suas primeiras apresentações já chamaram a atenção ao subirem no palco caracterizados com suas máscaras, indumentárias e maquiagem artística.

A banda conta com músicos experientes, com estrada e bastante bagagem de outros projetos musicais e artísticos. A música da Ripping My Soul busca soar moderna, com elementos do Heavy e do Thrash Metal. As letras tratam centralmente o ser humano, seus anseios, medos e fragilidades psicológicas.

Ripping My Soul é formada pelos irmãos Jonas Torres (vocal) e Jay Torres (guitarra), aliados ao baterista Lucilo Thomé. Agora estão se preparando para lançar o EP “Lost My Soul”¸que será lançado ainda no neste semestre.

Na definição de Jay, o contraponto entre o nome da banda e o nome do EP trata de falar sobre a alma de uma forma mais abrangente: “Quando se trata em falar de alma, é normal tratarmos isso com religião, mas na banda cada um tem um ponto de vista diferente sobre religião e crenças e acho que isso ajuda muito na hora de criar algo, acaba que a banda não fique focada em apenas um assunto ou ideologia. Gostamos de tratar sempre algo no psicológico das pessoas, acho que a alma é a essência de tudo, vai além de crenças é algo ainda que pra nós seja incógnito, acredito que pra tudo há uma explicação, mas nem tudo ainda nós estamos preparados pra absorver ou explicar, a alma é algo que nos faz viver e seguir em frente, é o que te faz forte e fraco, o que te anima ou derruba, então esteja preparado pra você em qualquer momento perder a sua alma”.

“Lost My Soul” contará com seis músicas: “Lost My Soul”, “Reddish Sky”, “Hate Your Life”, “Take Me Down”, “Buried Alive” e “Dead Bite”.

Leia os demais posts do blog