capa

Documento da História

A obra russa se propõe a reproduzir o terrível período dos campos de concentração nazistas, onde milhares de judeus foram covardemente torturados e massacrados.

Por
Chico Izidro

O filme é uma produção russa que lembra os 75 anos da rebelião no campo de extermínio nazista do sudeste da Polônia durante a II Guerra Mundial

publicidade

"Sobibor", dirigido pelo ator e cineasta estreante Konstantin Khabenskiy, é uma produção russa que lembra os 75 anos da rebelião no campo de extermínio nazista do sudeste da Polônia durante a II Guerra Mundial. Já houve outro filme sobre o mesmo campo em 1987, "Fuga de Sobibor", dirigido por Jack Gold e protagonizado por Alan Arkin e Rutger Hauer.
 

A obra russa se propõe a reproduzir o terrível período dos campos de concentração nazistas, onde milhares de judeus foram covardemente torturados e massacrados. Neste filme não são poupadas cenas fortes, como por exemplo o gaseamento de dezenas de mulheres - lembrem-se que em "A Lista de Schindler" houve cena semelhante, mas lá não saiu gás dos chuveiros e sim água.
 

"Sobibor" mostra desde a chegada dos judeus ao campo, onde eram enganados, achando que estavam chegando a uma área onde iriam trabalhar. E os protagonistas são mostrados pouco a pouco. Uns irão sobreviver e outros perecerão.

A obra, em determinado ponto, começa a focar nos planos de fuga, quando os cativos se dão conta que não podem mais agir como carneiros, aceitando pacificamente a morte, ou barganhando para prolongar em mais alguns dias ou meses as suas vidas. "Sobibor" é mais um drama do que um filme de ação. A primeira hora de filme é um pouco cansativa, mas depois engrena.

Bem, como é um filme histórico, no final mais de 450 judeus conseguiram escapar, após massacrarem seus algozes. Porém, cerca de 150 foram recapturados após serem denunciados pelos camponeses locais - note-se que o antisemitismo sempre foi muito forte na católica Polônia. O campo, por causa da fuga, acabou sendo destruído pelas autoridades alemãs. Enfim, um documento histórico em forma de ficção.