Para o futuro

Para o futuro

publicidade



 

Quando uma franquia cinematográfica se estabelece, os fãs estão prontos para aplaudir os novos produtos da mesma. Isso acontece também com "Tomb Raider", a passagem para o cinema do famoso video game, que retorna agora em novo filme com a estreia em Hollywood do diretor norueguês Roar Uthaug (o mesmo do filme "A Onda"). O chamado  reboot da franquia cinematográfica, aquele que apresenta o passado de tudo o que foi apresentado nos filmes anteriores, não tem a força esperada em uma narrativa que já se estabeleceu nos filmes da franquia em que Lara Croft é vivida pela sempre bela Angelina Jolie. Não há nada de intenso nem de novo que colabore para dar energia  para a personagem já conhecida ou  inovação para o gênero. E nem é toda a culpa da novata Alicia Vikander, que já mostrou ter talento ao ganhar o Oscar de Atriz Coadjuvante por seu trabalho em "A Garota Dinamarquesa"... mas falta algo pra acreditar que dessa jovem insossa se gere a mulher intensa que se mostrou em Angelina.

A tentativa de Uthaug é compreensível. A busca de uma naturalidade, mais do que a sedução de efeitos especiais. Para quem gostar da tentativa a dica é ver a série do inesquecível Indiana Jones (Harrison Ford), para entender a verdadeira origem destas propostas...

O argumento fundamental do longa-metragem "Tomb Raider - A Origem" bota em cena a história de Lara Croft, uma jovem que leva uma vida simples como entregadora em Londres enquanto renega a herança deixada por seu pai, dado como morto depois de uma viagem pelo Oceano Pacífico. Aliás, o roteiro perde muito tempo neste vai e vem da filha que nega a riqueza por não querer aceitar a morte do pai. Sem produzir uma empatia capaz de enganchar na trama, o drama familiar se rompe para dar lugar ao mágico e misterioso universo de uma força aparentemente sobrenatural que está ligada a possível destruição da humanidade. A trama, que fez parte do jogo de Tomb Raider lançado em 2013, leva os personagens para a ilha de Yamatai e a assustadora lenda de Himiko. Diversão para fãs. Decepção para os saudosos pelo vigor feminino de Angelina Jolie.

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895