Sereia bem fora d"água
capa

Sereia bem fora d"água

Por

publicidade



"A Sereia: Lago dos Mortos" é o novo trabalho do diretor russo Svyatoslav Podgaevskiy, que já havia destruído os filmes de terror com o péssimo "A Noiva" (2017). Mas agora ele conseguiu se superar nesta trama capenga, e para piorar, a distribuidora Paris Filmes ainda lançou a obra que tem o russo como língua original, dublada em inglês - e de péssima qualidade, além do que fora de sincronia.
Na história, uma família é amaldiçoada por uma mulher que vive nas águas, mas que de sereia, apesar do título, não tem nada. Ela está mais para Samara, de "O Chamado". A tal criatura, após matar a mãe de Roman e se encantar com o pai dele, resolve anos depois se apaixonar pelo jovem, um nadador que se prepara para disputar uma competição e é noivo de Marina (a atriz Viktoriya Agalakova, que já havia trabalhado com Podgaevskiy em "A Noiva"). E a moça tem medo da água, não sabe nadar. E claro, vai passar a ser o alvo da tal sereia, que pretende eliminá-la, para ficar com Roman.

Uma história que não faz o menor sentido, sendo que o filme apenas reedita tudo o que se já imagina dos mais batidos clichês de filmes de terror, mas sem a mínima imaginação. Enfim, "A Sereia - Lago dos Mortos" consegue ultrapassar todos os limites da ruindade. Um aviso seria: não chegue perto da água. Aqui o aviso é, passe longe deste filme.