Sonho de bola
capa

Sonho de bola

CO produção entre Uruguai, Brasil e Argentina, "Meu Mundial" é adaptação do livro infanto-juvenil homônimo escrito por Daniel Baldi, ex-jogador uruguaio

Por
Marcos Santuario

publicidade

Desde o momento em que vi "Meu Mundial", de  Carlos Andrés Morelli, quando se postulou para a seleção do Festival de Gramado de 2018, percebi ali um potencial importante de narrativa contemporânea, universal e realizado de forma envolvente. Nem sempre uma adaptação literária da certo no cinema, mas quando funciona se torna um deleite. No caso do filme de Morelli, a base é o livro infanto-juvenil homônimo escrito por Daniel Baldi, ex-jogador uruguaio com passagem por clubes como Bella Vista e Peñarol. Transposta para a tela está a trajetória de Tito Torres (vivido por Facundo Campelo), um garoto de 13 anos, jogador extremamente talentoso que começa a chamar a atenção da máquina financeira do futebol. Aí é onde o filme poderia ganhar mais força, mas não aposta nesta vertente. Mesmo assim, a escolha de foco não faz perder intensidade.

"Meu Mundial revelou também seu “Melhor Ator”, Nestor Guzzini, que saiu do Festival de Gramado com o Kikito da categoria. Em 2017, também participou dos festivais Work-in-progress Award, em Guadalajara FICG, ganhando três prêmios de desenvolvimento, da Market Premiere/Marché du Film, em Cannes, e fez sua Première Internacional no Busan FF, da Coréia do Sul. Em 2018, também esteve presente no Festival de cine Global, Republica Dominicana; no Festival Internacional de Guadalajara; no Festival Internacional de Cartagena; no Miami International FF MIFFECITO; na seleção oficial do Chicago Latino e no Stockolm International FF Junior, onde ganhou prêmio especial do júri. Foi premiado no Zlin International FF e continuou a participar em festivais em vários países no mundo todo: esteve no Festival Futbol Cine no México; nos Estados Unidos no LaLIFF; no FICS- Festival de Santander na Colombia; no Sydney Latin American FF e no Cinekid FF na Holanda.

Nascido e criado em Montevidéu, o protagonista é Facundo Campelo, um jogador de futebol muito dedicado como seu personagem. Ele foi “peneirado” entre juniores de equipes uruguaias, dentre um grupo de mais de cem jovens candidatos, para garantir que pudesse executar em cena os lances futebolísticos. Ele foi encontrado jogando na liga júnior do Wanderers Soccer Club local. O protagonista vai ganhando força e provoca empatia, ao envolver o espectador no sonho e na realidade do garoto e de seu entorno. Um filme delicado e feito com a simplicidade criativa e a profundidade certeira do cinema uruguaio.

* O livro "Meu Mundial", escrito pelo ex-jogador de futebol uruguaio Daniel Baldi, foi publicado no Uruguai, Argentina, Peru, Paraguai, Bolívia, Espanha e México, ganhou o Gold Book Award e vendeu mais de 30.000 exemplares no Uruguai. A publicação traz no prólogo o célebre ex-capitão da Seleção Nacional do Uruguai, Diego Lugano, atualmente, trabalhando como executivo no time brasileiro São Paulo F C. A participação de Lugano se deve a sua amizade de muitos anos com o autor do livro, Daniel Baldi, que é ex-jogador de sua geração.