Além de "Game of Thrones": histórias que podem manter Westeros nas telas
capa

Além de "Game of Thrones": histórias que podem manter Westeros nas telas

Por

publicidade

O que vem depois dos ventos do inverno? O que vem depois dos ventos do inverno?


Não é de hoje que séries derivadas de “Game of Thrones” dão o que falar. Mas o que era apenas especulação agora está mais perto de se tornar realidade, já que na quinta-feira a HBO confirmou que está desenvolvendo quatro projetos de seriados a partir da trama original, que devem explorar os mais distintos períodos de tempo do universo que conhecemos dos livros e da TV. Então, mais do que nunca, chegou a hora de juntar todas aquelas teorias que estamos criando há alguns anos e pensar em quais histórias de Westeros podem ser adaptadas. E, sim, nós estamos aqui para já deixar nossas apostas.

RobertComeçando pela mais óbvia: Rebelião de Robert ou Guerra do Usurpador. Ok, ela já foi abordada pela HBO, mas ainda há o que mostrar. O que sabemos é que a guerra liderada pelas casas Baratheon, Stark e Arryn começou com o suposto rapto de Lyanna Stark pelo príncipe Rhaegar Targaryen. A partir deste ponto, o seriado mostrou (A FRASE CONTÉM SPOILER) que a teoria (R+L=J) de que eles estavam, na verdade, fugindo juntos (adeus, casamentos arranjados) e tendo Jon Snow era verdadeira. Mas, retornando ao tempo em que só especulávamos, Robert exigiu a noiva de volta e vieram batalhas e mais batalhas, terminando com a derrubada dos Targaryen. Além de tudo isso, o que mais veríamos? A versão jovem de personagens como Ned Stark, Robert e mais uma galera; a intimidade de Aerys II Targaryen, o Rei Louco; Jaime Lannister se tornando ao vivo e a cores o Regicida; e quem sabe até os sussurros de Lyanna para Ned com o verdadeiro nome de Jon Snow.

Mas, claro, há obstáculos. George R. R. Martin já disse por aí que não é lá muito entusiasta da ideia porque nós já temos tudo isso em “As Crônicas de Gelo e Fogo” e em GoT. E também precisamos combinar que dificilmente a trama renderia muito mais do que uma minissérie - a não ser que a tal liberdade criativa que o autor concedeu ao pessoal da HBO seja tão grande a ponto de A Rebelião de Robert ser apenas mero ponto de inspiração para outras histórias menores. Ah, detalhe: é um período pequeno, mas cheio de batalhas, ou seja: investimento muito alto.

Dunk-and-Eggs

Já a segunda aposta é a que aparentemente sai na frente como a mais provável. Isso porque já se passaram alguns anos desde que o próprio Martin sinalizou que a HBO estaria estudando as aventuras de Dunk & Egg - e disse, inclusive, que esse seria “o derivado mais natural” de “Game of Thrones” (enquanto isso, nada do sexto livro, né?!). Se o selo de aprovação do autor não é suficiente, vale destacar que seria interessante conhecer mais a fundo os lugares e as histórias desse universo criado por ele.

cav dos 7 reinos

Mas o que sabemos de Dunk e Egg? Bem, no livro “O Cavaleiro dos Sete Reinos” temos o seguinte cenário: cerca de 90 anos antes do que é retratado em “As Crônicas de Gelo e Fogo”, surge Dunk. Ele é um menino pobre da Baixada das Pulgas que tem a chance de deixar a miséria em Porto Real e se tornar escudeiro de um cavaleiro andante. Os anos passam e quando o cavaleiro morre, Dunk assume seu lugar e conhece Egg, que passa a ser seu escudeiro. Assim começam as histórias de Sor Duncan, o Alto e seu escudeiro Egg, que juntos viajam por Westeros em busca de trabalho e aventuras. Tempos depois, os dois vão se mostrar figuras importantes na estrutura de poder dos Sete Reinos. Pelas referências que temos, Sor Duncan foi um lendário cavaleiro da Guarda Real que serviu o Rei Aegon V, o Improvável, como foi mencionado em “A Tormenta de Espadas”.  Já Egg, pela árvore genealógica dos Targaryen, era o próprio Rei Aegon V. Em “A Fúria dos Reis”, nosso querido Meistre Aemon diz que recusou o trono e sugeriu que seu irmão caçula, Egg, governasse em seu lugar. Alguns personagens atuais também seriam descendentes de Sor Duncan, mas isso deixamos para um próximo post ou para a série provar. ;)


rei-da-noite-got


Chegamos na metade com uma aposta mais improvável, mas cheia de curiosidade. Poderia o Rei da Noite, retratado como antagonista em GoT, se tornar o personagem principal de uma série derivada? Opiniões à parte, até a HBO decidir podemos dizer que um bom enredo giraria em torno dele. De acordo com o que temos de informações, ele foi o 13º Comandante da Patrulha da Noite, perto da construção da Muralha. Pouco mais tarde, seduzido por uma mulher “que tinha uma pele mais branca que a lua e os olhos tão azuis quanto o céu” e era “fria como gelo”, ele renunciou a seu juramento de proteger o reino e se rebelou contra o Norte.  Hoje, ele é o líder do exército de Caminhantes Brancos (Outros).

caminhantesA TV mostrou que antes de ser o Rei da Noite ele era um dos Primeiros Homens e foi capturado pelas Crianças da Floresta, até que uma das criaturas colocou uma adaga obsidiana em seu peito e se tornou o primeiro Caminhante Branco (socorro, aqueles olhos azuis). E o que se explica na série é que as Crianças da Floresta criaram os Caminhantes Brancos para se defender durante a invasão dos Primeiros Homens a Westeros. Só que, nos livros, ele já existia antes, desde a Era dos Heróis... Como seria retratado, então, você pode questionar. Provavelmente seguindo a história da TV. Para quem acha isso ruim, vamos voltar ao dono da palavra para ressaltar o tanto que cabe em um seriado voltado ao Rei da Noite. Segundo Martin, “O Rei da Noite é uma figura lendária, como Lann, o Esperto e Brandon, o Construtor, e a probabilidade dele estar vivo é tão grande quanto a desses ai também estarem”. Loucura, né?! Além disso, o Rei da Noite tem a fama de cometer diversas atrocidades, o que indica que a série poderia ter um tom mega sombrio e macabro. Maaaaas, de toda a forma, também temos que considerar que ainda não sabemos como GoT terminará e como será (será que será?) a batalha de casas rivais contra os Caminhantes Brancos. Que alianças estão por vir, hein?!


white-walkers-season-6-trailer


Mas falando ainda em tom sombrio, e se aqui Longa Noite fosse incluída. Já pensaram? Sim, teríamos que voltar muito no tempo, já que o período em que a terrível escuridão caiu sobre Westeros ocorreu aproximadamente oito mil anos antes da chegada de Aegon, quando um inverno (IS COMING!) fez todo mundo sofrer por longos anos. Seria pesado: fome e terror devastando o mundo, os Outros avançando e uma das maiores lendas escritas por George R. R. Martin: Azor Ahai. Pra quem não tá tão familiarizado, reza a lenda que ele conduziu a guerra contra os Outros portando a Luminífera e os mandou de volta pras Terras de Sempre Inverno. A partir daí, a Muralha foi erguida, Winterfell também, vieram os Reis do Norte e a Patrulha da Noite. Porém uma profecia diz que os Outros vão retornar (percebemos) e Azor Ahai, o príncipe que foi prometido, renascerá para salvar o mundo. O problema seria resolver de vez quem é Azor Ahai (alô, Melisandre), mas quem tem a teoria certa adoraria confirmar, né?! Teríamos até algumas cenas mostrando toda a engenharia envolvida pra construir a Muralha, mas valeria a pena, principalmente (se não for pedir demais) indo da Longa Noite em si e chegando até os dias atuais do Rei da Noite e dos Outros.

aegon

Por fim, uma aposta qualquer coisa que aborde a dinastia Targaryen. E o motivo é simples: é a casa mais emblemática e a que menos conhecemos. Há muitas possibilidades, é verdade,  mas num mundo ideal onde teríamos “Targaryen: da ascensão ao declínio”, o enredo começaria pela Guerra da Conquista, com Aegon I e suas esposas-irmãs  Rhaenys e Visenya  conquistando quase tudo que aparecia pela frente com ajuda de seus dragões. Veríamos então ele ser coroado o Rei dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens, fundar Porto Real, forjar o Trono de Ferro e tudo mais. E, cá entre nós, foram 300 anos de governo Targaryen até que eles foram expulsosna Rebelião de Robert (já falamos das séries se encontrarem em algum ponto?), o que significa que há muito para abordar: a Guerra Civil Targaryen, a paz com Dorne, Pretendentes Blackfyre...até chegar à derrocada com o Rei Louco. Mas, além de todas as lutas e conquistas, uma série sobre os Targaryen poderia mostrar e muito bem as características e costumes deles, que são bem estranhos, digamos assim. Seria complicado em função de ter muitos e muitos dragões? Sim. Mas dependendo do fim que Daenerys terá em GoT, todo investimento será recompensado, mas aí fica pra 2018.

Na real, tudo fica para 2018 e além, mas todo mundo tem seu pitaco, não é mesmo?! Sigamos apostando até lá ou enquanto o inverno permitir.