Cuidados com o clima frio

Cuidados com o clima frio

Por Felipe Uhr

Felipe Uhr

"É preciso ressaltar que o segmento da manipulação é fundamental para a saúde brasileira, salva vidas e é referência internacional. O preparo individualizado de produtos e medicamentos é feito exclusivamente sob prescrição de profissionais da saúde habilitados."

publicidade

Com a chegada do inverno, a presidente da Regional Rio Grande do Sul da Associação Nacional dos Farmacêuticos Magistrais (Anfarmag), Sílvia Muxfeldt Chagas, alerta para as principais  doenças da época e destaca a importância de cuidar da saúde de forma individualizada. Esse período traz também aumento  importante nos casos de algumas doenças, principalmente as respiratórias. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a gripe, por exemplo, registra em torno de 3 a 5 milhões de casos graves por ano, sendo muito mais comum nos meses mais frios. Isso sem falar na Covid-19, que também tem sua incidência aumentada durante o outono e o inverno e permanece  preocupando. De acordo com a farmacêutica, isso acontece “por causa de uma queda natural na imunidade do corpo e pela maior facilidade do contágio, uma vez que as partículas de secreção circulam mais facilmente em ambientes fechados”.

Quais as principais doenças que acometem as pessoas com a chegada do frio?

As doenças mais comuns são aquelas causadas por vírus e bactérias. Isso acontece por uma queda natural de imunidade do nosso corpo e pela maior facilidade de contágio, uma vez que as partículas de secreção circulam com mais facilidade em ambientes fechados e com esse clima ficamos em ambientes fechados. Está frio e úmido. Também aqui no Estado a umidade do ar é grande, em Porto Alegre também é alta. Às vezes chega quase a 100%. Isso faz com que os quadros alérgicos se exacerbem de maneira incrível e, aliados a vírus e bactérias, causem muitos quadro de doenças respiratórias, resfriados, gripes, bronquites, otites, asmas, sinusite, rinites, todas as “ites”. Um exemplo sou eu: fiquei dois dias sem voz e com uma tosse muito forte. Não me sinto gripada, só com tosse. Fiz testes e nada deu positivo, a tosse já passou 90%, me sinto bem, mas a minha voz está estranha.

Quais os impactos do frio extremo? Em lugares onde o inverno e outono são marcados por temperaturas geladas e dias curtos, o indivíduo pode desenvolver um tipo específico de depressão do frio, chamada de transtorno afetivo sazonal?

Sim. Esse quadro pode ser desenvolvido em lugares onde há pouca incidência solar e temperaturas muito baixas. Nessas condições, a produção de substâncias reguladoras do humor, do sono e de outras funções do organismo é reduzida, levando a uma gama de sintomas como redução do apetite, sonolência e perda de apetite sexual. Além disso, geralmente, em locais de frio extremo, há maior isolamento social, o que também pode contribuir para o agravamento desses casos.

Quais os males do frio?

No caso do frio extremo há um maior gasto energético do organismo. Começam a aparecer os tremores e os arrepios, por exemplo. Indicam uma tentativa do nosso corpo de se aquecer pela contração involuntária dos músculos e da formação de uma camada isolante ao seu redor. As extremidades geladas, como pés, mãos e narizes também são comuns e mostram que os organismo está direcionando fluxo sanguíneo para os órgãos vitais em detrimento dos periféricos. Se esta situação de frio persiste, a pessoa começa a sentir maior cansaço, lentidão na resposta aos estímulos, desaceleração dos batimentos cardíacos e dificuldades na respiração. Além disso, o frio extremo também pode causar a sensação de queimadura na pele, amnésia e perda de consciência.

É possível se preparar para a chegada do frio? Como isso pode ser feito?

A gente pode se preparar para a chegada do frio, certamente. No frio ou no calor, é necessário mantermos nossa imunidade em dia, isso é básico. Isso pode ser feito tendo maior atenção e cuidado com a saúde. As vacinas são exemplos maravilhosos disso. São ótimos aliados para imunizar os sintomas de algumas doenças, uma gripe ou a própria Covid-19. Além disso, alguns alimentos favorecem o fortalecimento do sistema imunológico, contribuem no combate das doenças típicas do frio. Um exemplo que todo mundo conhece é a vitamina C, que tem na laranja, na acerola, na couve. A vitamina D, que tem nos peixes, nos ovos. O zinco, que a gente encontra em carnes vermelhas, aves e frutos do mar. Caso a ingestão desses alimentos seja insuficiente ou baixa por qualquer motivo, é possível suplementar esses componentes por meio de formulações personalizadas. Aí, dependendo da idade da pessoa, pode-se suplementar sem problemas. Outras medidas de prevenção é manter os ambientes bem arejados, lavar as mãos, usar álcool em gel quando estiver fora de casa, proteger a boca ao tossir, se manter adequadamente hidratado. No entanto, é preciso lembrar que nem sempre a imunidade alta é garantia de que a pessoa não vá infectar com alguma dessas doenças.

Quais os diferenciais dos produtos manipulados no sentido de prevenir e combater os males que podem surgir nessa época de frio?

Em primeiro lugar, é preciso ressaltar que o segmento da manipulação é fundamental para a saúde brasileira, salva vidas e é referência internacional. O preparo individualizado de produtos e medicamentos é feito exclusivamente sob prescrição de profissionais da saúde, habilitados, atendendo tanto os pacientes que procuram a farmácia por si mesmo quanto os hospitalizados também, com produtos direcionados a suas necessidades específicas. Nesse sentido, a farmácia de manipulação consegue adequar os medicamentos às demandas individuais de cada pessoa. Por exemplo, é possível associar diversos princípios ativos em um mesmo medicamento, facilitando sua administração. Um exemplo prático é se você tomar 3 ou 4 medicamentos no mesmo horário, tecnicamente sendo possível, a gente coloca em uma cápsula só, não precisando tomar vários, apenas um. Além disso, podemos criar formulações em diferentes formas de apresentações, quando possível tecnicamente também, como xaropes, cápsulas, pastilhas, facilitando o processo para pessoas que têm alguma dificuldade de deglutição como pacientes hospitalizados, por exemplo. A minha avó era uma pessoa que não conseguia engolir cápsulas muito grandes e eu fazia os medicamentos dela em sachês. Ela dissolvia na água e tomava “superbem”. Nos meses mais frios, é maior a demanda por motivos vitamínicos, que contribuem para a imunidade. Também de acordo com as necessidades individuais, é possível atender prescrições de profissionais habilitados e manipular uma fórmula personalizada com a quantidade específica de cada componente. Isso tudo, é claro, se o farmacêutico avaliar que há viabilidade técnica para tal.

De que forma o farmacêutico pode ajudar fazendo um primeiro atendimento a quem precisar de algum medicamento?

Sobre o trabalho do farmacêutico, é preciso destacar que são funções do farmacêutico, entre outras, oferecer as devidas informações aos pacientes quanto ao uso correto dos medicamentos. Manipular remédios e outros produtos. Orientar fórmulas adequadas de uso. Promover o uso racional do medicamento. Acompanhar fármaco terapêutico, entre outros trabalhos e possibilidades que o farmacêutico pode oferecer. De modo geral, podemos dizer que enquanto o médico é o profissional do diagnóstico, o farmacêutico é o profissional do tratamento. Por isso, é direito de cada cidadão receber o primeiro atendimento dentro das farmácias, por um farmacêutico habilitado, sempre que necessário. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895