Retrospectiva 2020: Delivery de conforto afetivo

Retrospectiva 2020: Delivery de conforto afetivo

Especialistas analisam os temas que mais marcaram 2020

Taís Teixeira

O diretor do Uber Eats para a América Latina, Eduardo Donnelly

publicidade

Com o isolamento social imposto pela pandemia, novos hábitos ganharam espaço. O delivery, serviço  que entrega refeições em casa mediante pedido do consumidor, foi um dos costumes que teve crescimento. O Uber Eats, plataforma online para pedir refeições e alimentos que são recebidos em casa pelo cliente, registrou um faturamento de US$ 8,6 bilhões no terceiro trimestre de 2020, um aumento de 135% na comparação com o mesmo ciclo de 2019. A ferramenta, disponível desde 2017 em Porto Alegre, foi criada  como  parte da modalidade  de motorista da Uber, mas hoje é uma categoria autônoma. O diretor do Uber Eats para a América Latina, Eduardo Donnelly, afirma que a comfort food ou comida reconfortante, aquela ligada ao nosso lado afetivo está em evidência. Ele cita que uma pesquisa indicou que 75% dos entrevistados de Porto Alegre e região Metropolitana usaram delivery pela plataforma durante a pandemia. Donelly também conta que o Uber Flash, serviço que transporta determinadas encomendas, foi criado no período de pandemia com o intuito de lidar com as novas demandas de mobilidade que surgiram nos centros urbanos.

A praticidade de pedir e receber comida em casa foi rentável no período de março até novembro de 2020?

Globalmente, o Uber Eats teve um faturamento de US$ 8,6 bilhões no terceiro trimestre de 2020, um crescimento de 135% na comparação com o mesmo período de 2019. Além disso, neste ano também tivemos um aumento de 75% no número de negócios cadastrados na nossa plataforma em toda a América Latina. Também encomendamos uma nova pesquisa do Instituto Datafolha para entender o comportamento do consumidor durante a pandemia em nove regiões metropolitanas do Brasil, entre 16 de setembro e sete de outubro. De acordo com o levantamento, a maioria (68%) dos usuários de aplicativos de entrega aumentou o uso do serviço durante a pandemia. A pesquisa aponta ainda que é praticamente unânime a opinião de que a atividade de delivery vai continuar mesmo com o fim da pandemia. 

O que esses números indicaram em Porto Alegre?  

Dos entrevistados pelo Datafolha em Porto Alegre, 93% concordam que o hábito de pedir comida por aplicativo veio para ficar. Antes do início da Covid-19, 49% dos moradores de Porto Alegre nunca haviam usado esse tipo de aplicativo. Porém, durante a quarentena, 75% afirmaram ter feito uso ao menos uma vez, o que representa um aumento de 26 pontos percentuais na adesão.   

Quais motivos provocaram essa mudança? 

O  risco de contaminação, com 58%, e a praticidade do serviço, com 45%, foram os fatores mais importantes para os usuários considerarem o uso do tipo de aplicativo durante a pandemia. O terceiro motivo mais apontado em Porto Alegre, com 12%, foi "porque os restaurantes passaram a oferecer a opção", seguido por "falta de tempo para comprar os produtos", com 10%.

Qual é o tipo de alimentação mais pedido?  

A comfort food - ou comida reconfortante, aquela ligada ao nosso lado afetivo - está ganhando tanto terreno quanto às sobremesas durante o isolamento social. Com base em uma análise aprofundada das pesquisas dos usuários, itens como bolos e sorvetes se tornaram uma tendência em toda a América Latina nas últimas semanas. A gastronomia, além de nos proporcionar o prazer de provar um número infinito de sabores e pratos, nos introduz a uma compreensão mais próxima das sociedades, suas respectivas culturas e estilos de vida. Inclusive observamos como os alimentos se adaptam às mudanças que enfrentamos, como a Covid-19. A prevalência dessas tendências é um exemplo de como a comida afetiva e as sobremesas podem nos ajudar a superar esses momentos, que são um grande desafio para muitas pessoas. De acordo com o relatório, as comidas que aumentaram sua popularidade no Brasil desde o início do isolamento são sanduíches, bolos, comida italiana e salada.Em segundo, ficaram lámen e massa ,pizza,salada ,salmão ,açaí ,sanduíches, batata frita, temaki ,sucos, sushi.

Quais são as categorias mais procuradas? 

Sanduíches e wraps, sobremesas (bolos, doces, sorvetes), comidas brasileiras (coxinha, feijoada), Comida saudável (orgânica, sem glúten, saladas), sementes (chia, linho, granola) e carne e frango.

Como é a contratação dos entregadores? Teve aumento durante a pandemia? 

Eles são autônomos, logo, não são contratados pela empresa, tampouco têm vínculo empregatício. Infelizmente, não podemos dar este número. 

Quais alterações foram feitas para se adequar à pandemia? De quanto foi esse investimento? 

Desde que a pandemia começou, a Uber  vem realizando diversas ações no Brasil para prevenir e ajudar a diminuir os riscos de contaminação de parceiros e usuários, como: verificação por selfie do uso de máscara, investimento de R$ 50 milhões em medidas de proteção como assistência financeira aos parceiros afetados pela Covid-19 e reembolso de máscaras e álcool em gel, distribuição de kits de higiene, limpeza veicular feita por empresa especializada, doação de viagens e refeições para atender profissionais na linha de frente, entre outros. 

Quais estratégias foram criadas para facilitar a mobilidade neste momento?

O Uber Flash foi criado durante a pandemia da Covid-19 com o intuito de lidar com as novas demandas de mobilidade que surgiram nos centros urbanos. Essa invenção também ajudou a aumentar o número de pedidos para os motoristas parceiros e os ajudou a gerar mais renda. A ferramenta está disponível em Belém, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Campo Grande, Cuiabá, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Joinville, Maceió, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador, Santos, São José dos Campos, São Luís, São Paulo, Sorocaba e Vitória. Para melhorar, fizemos uma atualização para facilitar a troca de presentes a distância neste fim de ano pela opção Amigo Secreto. Tanto quem envia quanto quem recebe uma encomenda terá o mesmo acesso às informações da viagem e ao mapa do trajeto, atualizado em tempo real. Além disso, agora, as duas pontas também recebem alertas em seus smartphones quando o carro está se aproximando. Antes, só quem tinha marcado a viagem tinha esse controle.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895