Correio do Povo em detalhes

Correio do Povo em detalhes

publicidade

Há pouco mais de um mês, adentrei no Correio do Povo para uma entrevista de emprego. Meus pés tocaram o piso com losangos verdes, avistei uma escada com detalhes rebuscados e um elevador que transpôs a minha imaginação para um mundo antigo, fascinante. Sensação de aconchego que talvez eu não tivesse se tudo fosse seco em prol da “modernidade”. Fui abraçada pelo tempo que não vivi. Realizei um grande sonho aos meus 26 anos de idade. Um sonho do meu pai, de 77, leitor assíduo há várias décadas. Lembrei-me de quando ele me disse uma vez: “Começo a ler o jornal pelas figuras” e me perguntou o que fazia exatamente um repórter fotográfico. Eu respondi “faz as figuras que você tanto gosta, pai.”

É também por amor a ele que escolhi estar aqui. Assim como adoro que meu pai conte histórias do seu passado, o jornalismo tem o compromisso de rememorar os caminhos percorridos pela sociedade até o presente, para que as outras gerações saibam em qual chão estão pisando. A história não está somente nas linhas que lemos, mas também nos detalhes que nos circulam. Nas imagens que nos aprofundam. Nos recortes, nas escadas, portas e janelas dentro de nós mesmos.

Texto e fotos: Alina Souza

Confira o prédio do Correio do Povo em detalhes (clique sobre a imagem para ampliar)


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895