Novos alcances

Novos alcances

Alina Souza

MTB (Montain Bike) Gurias de Gravataí na av. Edgar Pires de Castro, zona sul de Porto Alegre.

publicidade

Era um dia de sol escaldante quando surgiu na Av. Edgar Pires de Castro um grupo de ciclistas mulheres — tão cheio de leveza e sincronia que parecia uma coreografia na pista. “MTB Gurias de Gravataí”, anunciaram, orgulhosas. Aquele momento representava uma prova de superação para todas elas: pedalar 100km. Já imaginou fazer um trajeto com tal distância, permeado por trechos íngremes, sob 33°C?

Pois é, nenhuma delas imaginou atingir essa meta ao entrar no grupo. Foi preciso despir receios e descobrir a crescente capacidade de vencer desafios. A integração das participantes funciona como antídoto contra a desistência. “Ninguém fica para trás, as gurias acolhem, apoiam, incentivam”, enfatiza Aline Mayrer, 37 anos.

Para Caroline Somensi, 34 anos, ser uma das organizadoras do grupo foi como trocar as marchas de sua vida após diagnóstico de uma doença autoimune: “Se estou ruim em casa, pego o capacete e a bike, vou buscar o meu melhor.” E são tantos os relatos positivos destas mulheres. Elas querem ir muito além da extensão das rotas. Querem conhecer a si, enveredar pelas trilhas interiores, renovar o fôlego para encarar as imprevisíveis ladeiras do cotidiano.

As três influenciadoras/organizadoras do MTB Gurias de Gravataí, da esq. a dir.: Vanessa Somensi, Tânia Pavanelo e Caroline Somensi. Foto: Jeferson Flores.

Mais depoimentos:

"Nosso foco sempre foi incentivar as mulheres a pedalarem e saírem do sedentarismo. Nosso intuito é a união e muitas pedaladas. Integração, amizade, diversão. Bora pedalar, bora se desafiar, bora todo dia fazer um desafio novo, mostrar que a gente pode chegar aonde a gente quiser."  (Tania Pavanelo, 52 anos)

"Eu gosto de pedalar. Às vezes dá aquele cansaço. Mas depois que você calçou os tênis, pegou a bike, é só alegria, diversão. Tem muito caminho que é puxado, muita lomba, é difícil, mas vale a pena. A vista compensa. Vale a pena sair de casa, fazer um esporte bacana onde tu descobre amizades, tem sempre uma parceria." (Nanda Christoff, 37 anos)

"Vale muito a pena porque é uma superação a cada saída de casa. Cada trilha é uma liberdade que a gente desconhece. A partir do momento que vocês se descobrirem, vocês vão ver o quanto a vida vai mudar." ( Maristela Somensi, 57 anos)

"Que se arrisquem, que façam, que iniciem. Todo mundo é capaz! Então comecem, simplesmente comecem." (Natasha Roxo, 28 anos)

"Reduz estresse de todo mundo, reduz carro na rua, deixa as pessoas com mais saúde." (Mel Machado, 35 anos)

Vídeo do canal MTchêB que apresenta depoimentos e imagens dos desafios das gurias:

https://www.youtube.com/watch?v=7V7iVReRmqo


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895