A estratégia do Grêmio
capa

A estratégia do Grêmio

Por

publicidade

Contasse com Luan e Everton recuperados e Renato não escalaria os dois.
Um, sim; os dois, não.
Porque estão retornando de lesão, portanto sem o ritmo ideal para um compromisso deste tamanho, uma semifinal de Libertadores.
Com Luan fora de combate, fica menos complicado escalar o time que irá encarar o River nesta terça-feira na Arena.
Não gosto de equipes que entram em campo com o regulamento embaixo do braço.
Quem muito se abaixa, o fundilho aparece.
Quem joga para empatar está mais perto da derrota.
O Grêmio deve repetir aqui o esquema da vitória de 1 a 0 na Argentina.
Atuará com quatro volantes que na verdade são dois. Não se trata de uma retranca.
Trata-se de uma estratégia.
Michel e Maicon são volantes. Ramiro é volante de origem, mas vem jogando quase como um ponteiro direito, fazendo o vaivém, e Cícero é outro volante de origem mas que sabe atuar adiantado.
Eles mais Everton, para puxar o contra-ataque, e Jael.
A mesma estratégia que deu samba na casa lotada do adversário.