Grêmio, a vassourada
capa

Grêmio, a vassourada

Saul Berdichevsky pediu para sair antes das demissões

publicidade

O Grêmio surpreendeu nesta quarta-feira com o seguinte comunicado.
"O Grêmio informa que realizou um processo de reorganização na estrutura profissional do Departamento de Futebol, e comunica os desligamentos dos preparadores físico, Rogério Dias e de goleiro, Rogério Godoy, dos fisiologistas José Leandro e Rafael Gobbato, do fisioterapeuta Henrique Valente, da nutricionista Katiuce Borges e do assessor de imprensa João Paulo Fontoura. 
A todos, o Clube agradece o profissionalismo dedicado.
A nova estrutura e os profissionais que a integrarão serão anunciados pelas mídias oficiais do Grêmio nos próximos dias."
Isto acontece um da depois de um desabafo do goleiro Paulo Victor, reconhecendo que falhou em alguns jogos em 2019.
Acontece quando Renato está em recuperação médica.
E quando o Grêmio está sem vice de futebol.
E depois que Saul Berdichevsky entregou o cargo de diretor médico. 
No site do clube ele ainda aparece como ocupando a função, mas já saiu. 
Saiu e não tem nada a ver com as mudanças. 
Com os afastados o Grêmio foi campeão da Copa do Brasil, Libertadores e Recopa. 
Perguntas: Renato sabia das mudanças?
As mudanças foram um pedido do novo vice de futebol?
Em novembro de 2019 os médicos do Grêmio vieram  a público para explicar os constantes casos de lesão que o elenco vinha sofrendo, não só em 2019, como ao longo dos últimos dois anos. 
Paulo Rabaldo, Saul Berdichevski e Marcio Dornelles discordaram de que o clube tivesse um alto índice de contusões e, para corroborar a tese, traçaram um comparativo com o ano de 2018. 
Foram 25 lesões em 2019 até novembro. 
Contra 55 no ano passado.