capa

Morre "seu" Verardi, ícone do Grêmio

Antigo funcionário do clube estava com 84 anos

Renato e Antônio Carlos Verardi se tornam sócios do Grêmio

publicidade

Morreu Antônio Carlos Verardi, o "seu" Verardi.
Trabalhou 54 anos pelo clube.
No ano passado ele lançou o livro  “seu Verardi e o Grêmio, uma história de amor”.
A leitura é fácil, leve, com histórias entremeadas com títulos sugestivos.
O sempre reservado Verardi surpreende com causos imperdíveis, revelações e opiniões.
Trecho do livro:
“Quando Renato assumiu, o time já estava estruturado.
O que se criticava muito na equipe eram os desacertos do setor defensivo, pois o Grêmio estava tomando muitos gols de bola aérea.
E o mais marcante do começo do trabalho foi o modo como ele corrigiu esse problema.
Outro ponto importante foi que o Renato não mudou a equipe que havia sido montada.
O que ele fez foi estimular nos jogadores a volúpia pelo gol, algo que ele próprio sempre teve: fazer a bola entrar na goleira adversária ou chegar até a área para que alguém tenha condições de marcar o gol”.
Quem foi Verardi?
Tudo.
Muito mais do que um superintendente do Grêmio.
Ele foi o próprio Grêmio.
Raros incorporaram como ele esta instituição centenária.
Entra para a história.
Nesta quarta-feira fará parceria a Koff e Dourado.
Mais uma estrela brilhando no céu Tricolor.
NOTA DO GRÊMIO

É com imenso pesar que o Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense comunica o falecimento do Sr. Antônio Carlos Verardi, aos 84 anos, ocorrido na madrugada desta quarta-feira, dia 24. 

“Seu” Verardi, como era carinhosamente conhecido, era superintendente de Futebol do Tricolor e o mais antigo colaborador registrado no quadro funcional da instituição, com 54 anos de dedicação. Adorado por atletas, dirigentes e colegas de trabalho por sua competência, fidalguia e discrição, “Seu” Verardi criou com o Grêmio uma identificação única, que se mistura com a própria história do Clube.

Desembarcou no Estádio Olímpico em 1965, aos 31 anos, para assumir a Comissão de Obras trazido pelas mãos do Patrono Fernando Kroeff. Antes disso, já havia atuando pelas categorias de base, mas não vingou como atleta. Um mês depois, a pedido do presidente Mário Antunes da Cunha, aceitou o cargo de Gerente Geral, função que exerceu até 1974. Com nove anos de experiência no cargo, recebeu o desafio de assumir a função de diretor de futebol, quando começou a ter mais contato com o vestiário. De diretor á supervisor, não demorou muito. Com um trabalho sério, sempre voltado para o bem da instituição e dos atletas, “Seu” Verardi passou a ser reconhecido nacionalmente e virou referência na função para outros clubes brasileiros. Em 2005, Verardi se aposentou, mas seguiu se dedicando ao Clube como superintendente de futebol, responsável pela logística do grupo profissional. Foi assim até o final. Enquanto a saúde permitia, chegava cedo para trabalhar no CT Luiz Carvalho sendo um dos últimos a sair. Até mesmo nos dias de folga ou finais de semana, “Seu” Verardi era encontrado nas dependências do Grêmio, hábito que, certamente, continuará mantendo pela eternidade.

Nos últimos meses, depois de ter sido convidado para acompanhar a delegação no Mundial dos Emirados Árabes, Antônio Carlos Verardi se dedicou a divulgação da obra “Seu Verardi e Grêmio – Uma História de Amor”, livro de memórias lançado no início de junho deste ano, um documento de valor inestimável que conta um pouco a história do Tricolor.

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense se solidariza com toda a família Verardi, amigos e torcida, e comunica que em breve serão divulgadas mais informações sobre os atos fúnebres.