Nestor Hein e os "corsários do direito"
capa

Nestor Hein e os "corsários do direito"

Diz que jogar após as 22 horas em dias de semana é na natureza do trabalho do jogador

publicidade

Duas decisões da Justiça do Trabalho deixaram os clubes de futebol preocupados.
O ex-zagueiro Paulo André (contra o Corinthians) e o meia Maicon (contra o São Paulo) ganharam ações por  atuar aos domingos e jogar após as 22h em dias de semana sem compensação.
Processos desta natureza não são de hoje. 
Há anos isto acontece.
Nestor Hein é diretor jurítico do Grêmio.
Diz que o clube dá folga aos jogadores, quase sempre nas segundas, depois da rodada dominical.  
E que jogar após as 22 horas em dias de semana é na natureza do trabalho do jogador. 
Considera impossível um jogador bater cartão ponto, por exemplo.
Ou trabalhar 44 semanais. 
Mas vê muitos "corsários do direito" atuando neste campo, convencendo o atleta a entrar na Justiça. 
"Não dá para fazer nada. Tem que taparo nariz. Isto mostra a fadiga em que se encontra o futebol.
É uma caça ao dinheiro."