10 anos do bi olímpico, a última conquista da seleção argentina
capa

10 anos do bi olímpico, a última conquista da seleção argentina

Por

publicidade

AFA / Reprodução


Como é lembrado constantemente, a seleção principal da Argentina ganhou seu último título na Copa América de 1993. Pois esta quinta-feira, 23 de agosto, marca uma outra data para o futebol argentino. Há exatos 10 anos, a Argentina conquistava o bicampeonato olímpico em Pequim, a última conquista da Albiceleste.

A segunda medalha de ouro da Argentina veio com um gol de Di María na final contra a Nigéria. A campanha no torneio foi de 100% de aproveitamento nas seis partidas disputadas, incluindo um 3 a 0 sobre o Brasil de Ronaldinho na semifinal. O selecionado argentino sub-23 contava ainda com nomes como Lionel Messi, Kun Agüero e Mascherano. Juan Román Riquelme foi um dos jogadores acima de 23 anos levados pelo técnico Sergio Batista a Pequim.

A seleção da Olimpíada de 2008 serviu como base para a equipe que seis anos depois chegou à final da Copa do Mundo no Brasil. Seis titulares diante da Alemanha no Maracanã estavam naquele time de Pequim: Romero, Zabaleta, Garay, Mascherano, Lavezzi e Messi. Outros dois, Agüero e Gago, entraram no segundo tempo diante dos alemães.

A Olimpíada de 2008 também marcou o fim de uma era vitoriosa na base argentina, já que a AFA iniciou em 2009 uma reformulação desastrosa. A Argentina chegou a ficar fora de dois Mundiais Sub-20 desde então e não se classificou para a Olímpiada de 2012. Em 2016, no Rio de Janeiro, após uma muita dificuldade para montar o elenco de 18 jogadores, a seleção argentina acabou eliminada na primeira fase com uma campanha pífia.

 

A escalação da Argentina na final da Olímpiada de 2008: Romero; Zabaleta, Garay, Pareja e Monzón; Gago, Mascherano, Di María (Banega) e Riquelme; Messi (Lavezzi) e Agüero (Sosa).

 

O gol de Di María: