Após adiamentos e confusões, River e Boca decidem a Libertadores neste domingo
capa

Após adiamentos e confusões, River e Boca decidem a Libertadores neste domingo

Por

publicidade

River e Boca decidem a Libertadores neste domingo em Madri - Foto: Gabriel Bouys / AFP


Após adiamentos, confusões sobre local e até mesmo se a partida iria ser realizada, River Plate e Boca Juniors vão decidir o título da Libertadores da América de 2018 neste domingo. Os dois maiores clubes da Argentina se enfrentarão no Santiago Bernabéu, em Madri, a partir das 17h30min (de Brasília).

 

Inicialmente marcada para o dia 24 de novembro, a segunda partida da final da Libertadores foi adiada por conta das agressões sofridas pelos jogadores do Boca Juniors na chegada ao Monumental de Núñez. A Conmebol tentou realizar o jogo no dia seguinte, mas acabou suspendendo a decisão porque alguns atletas não estavam recuperados. A partir daí teve início uma guerra política nos bastidores.

 

O Boca se posicionou contra a realização do jogo. Baseado no que ocorreu no episódio do gás de pimenta, em 2015 - quando o River Plate ganhou os pontos do confronto entre os dois clubes nas oitavas de final -, o Xeneize apresentou uma apelação no Tribunal Disciplinar da Conmebol para ser declarado campeão. Do outro lado, o River não admitia uma punição - pelo ataque ter ocorrido fora do Monumental de Núñez - e queria jogar em casa com a sua torcida presente.

 

Nenhum dos clubes obteve sucesso em seus pleitos e, no dia 29 de novembro, a Conmebol marcou a final para Madri. Mais que desagradar a Boca e River, a entidade acabou tomando uma decisão que foi totalmente contra a história da Libertadores. É no mínimo de mau gosto que a final da competição que homenageia os líderes das guerras pela independência do continente seja disputada na colonizadora Espanha. De olho nos euros que isso vai gerar, o presidente da Conmebol, Alejandro Domínguez, claro, ignorou as reclamações.

 

Dessa forma, a não ser que algum outro problema aconteça, River e Boca vão decidir a Libertadores neste domingo na capital espanhola. O tempo de duas semanas desde o adiamento da partida deu aos técnicos Marcelo Gallardo e Guillermo Schelotto a possibilidade de alterar seus planejamentos para a decisão. Schelotto foi ainda beneficiado pela volta de Pavón. O camisa 7 do Boca, que seria ausência no Monumental de Núñez, se recuperou de uma lesão muscular e está à disposição do treinador para este domingo.

 

A volta de Pavón abre a possibilidade de Schelotto montar o Boca com o esquema que mais gosta, o 4-3-3. A boa atuação da equipe com Benedetto e Ábila no primeiro jogo na Bombonera, porém, pode levar o treinador a repetir a formação com dois centroavantes. Em entrevista coletiva na sexta-feira, Schelotto afirmou ter o time definido, mas deixou a imprensa em dúvida.

 

As possíveis formações do Boca







 

Diferente de Schelotto, que tem a volta de Pavón, Marcelo Gallardo não poderá contar com Scocco, que não se recuperou de sua lesão muscular. O técnico do River tem ainda outro desfalque no ataque, o de Santos Borré, suspenso. Dessa forma, o treinador deve adiantar Pity Martínez para jogar ao lado de Pratto na frente.

 

A alternativa de Gallardo para seu time ter dois atacantes é a entrada do garoto Julián Álvarez, de 18 anos. Uma terceira opção de escalação do River Plate tem a presença de Martínez Quarta, o que faria a equipe ter uma linha de três zagueiros, como ocorreu no primeiro jogo da final, na Bombonera.

 

As possíveis escalações do River







 

Seis vezes campeão da Libertadores - 1977, 1978, 2000, 2001, 2003 e 2007 -, o Boca Juniors busca a sétima conquista para igualar o Independiente como maior vencedor da competição. Campeão da América em 1986, 1996 e 2015, o River Plate tenta seu quarto título. Sem vaga por Superliga e Copa Argentinas, o time de Gallardo só irá disputar o maior torneio do continente em 2019 se for campeão neste ano. Após o 2 a 2 na Bombonera, ninguém tem vantagem para a partida deste domingo. Um novo empate leva a decisão para a prorrogação. Se persistir a igualdade, pênaltis.