capa

Boca Juniors vence o Rosario Central nos pênaltis e conquista a Supercopa Argentina

Xeneize quebrou sequência negativa de três finais perdidas

Boca conquistou a Supercopa Argentina pela primeira vez

publicidade

O Boca Juniors venceu o Rosario Central por 6 a 5 nos pênaltis e conquistou a Supercopa Argentina na noite desta quinta-feira em Mendoza. A decisão foi para as penalidades após o Xeneize pressionar durante toda a etapa final do tempo regulamentar sem conseguir tirar o zero do placar. Nos pênaltis, o goleiro Andrada defendeu a batida de Rinaudo nas alternadas e o zagueiro Izquierdoz converteu a cobrança que garantiu a taça para o Boca.

O título da Supercopa é o 68º da história do Boca Juniors. O Xeneize agora tem 13 copas nacionais. O clube se tornou de forma isolada o maior vencedor de competições desse tipo na Argentina. É a primeira vez que o Boca vence a Supercopa após três derrotas - para Arsenal, River Plate e San Lorenzo. Com a derrota, o Central fecha um semestre para esquecer. A equipe de Rosario venceu apenas duas das 20 partidas que disputou, além de ter sido eliminado nas primeiras fases de Libertadores, Copa Argentina e Copa da Superliga.

 

O jogo

A decisão da Supercopa Argentina teve um primeiro tempo em que o Rosario Central conseguiu controlar bem o Boca. O técnico Diego Cocca montou a equipe com uma linha de cinco defensores mais um tripé no meio-campo, o que tirou os espaços dos principais jogadores xeneizes. Benedetto e Zárate terminaram a primeira etapa sem nenhuma finalização a gol. As melhores chances xeneizes estiveram nos pés do colombiano Villa, mas o camisa 22 não conseguiu concluir bem.

Forte na defesa, o Central também levou perigo. O garoto Villagra obrigou Andrada a uma grande defesa logo no começo do jogo e Rinaudo quase marcou em erro do goleiro xeneize nos minutos finais do primeiro tempo.

Na etapa final, a partida mudou. O Boca Juniors conseguiu impor seu futebol e pressionou o Rosario Central. Foram três bolas na trave no segundo tempo, incluindo um chute de Pavón - entrou no lugar de Zárate - que deixou a impressão de que a bola passou a linha do gol após bater no travessão.

Apesar de toda a pressão do Boca, o tempo regulamentar terminou em 0 a 0. Nas penalidades, os dois times tiveram 100% de aproveitamento na série de cinco. Bateram para o Boca, Benedetto, Tevez, Pavón, Villa e Buffarini. Para o Central cobraram Ortigoza, Gil, Parot, Zampedri e Caruzzo. Nas alternadas, Rinaudo teve o pênalti defendido por Andrada e Izquierdoz fez a cobrança que deu o título ao Boca.

A Supercopa foi a sexta decisão de título entre Boca e Rosario Central e os xeneizes conseguiram manter o 100% de aproveitamento contra o rival. O título da Supercopa foi o 27º da carreira de Carlos Tevez. Entre os jogadores argentinos, apenas Lionel Messi, com 34, tem mais conquistas que Carlitos.